Em última sessão, CPI de Brumadinho ouve vítimas da Vale

Mesmo sem perder parentes ou propriedades, vítimas indiretas alegam descaso e lamentam perda de acesso a água, pesca e turismo

Divulgação/ALMG/Luiz Santana

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) criada pela Câmara dos Deputados para investigar o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro deste ano, deve entregar seu relatório final no mês que vem.

Os parlamentares que integram o colegiado realizaram a última sessão da comissão nesta segunda-feira (16), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. 

Vítimas do rompimento da barragem da Vale e representantes de associações de atingidos de vários municípios, como Brumadinho, Nova Lima, Congonhas, Ouro Preto, Itabira, Itabirito, Juatuba, Barão de Cocais, Curvelo, Felixlândia, dentre outros, foram ouvidos pelos deputados e apresentaram novas denúncias. Os depoimentos ajudarão a CPI na elaboração do relatório final. 

As vítimas indiretas do rompimento da barragem, que deixou 270 mortos, reclamam do acesso a mecanismos de reparação, como indenizações e mesmo reconhecimento por parte das autoridades de que teriam sido afetados pela tragédia.

Embora não tenham perdido parentes ou mesmo propriedades, muitas dessas pessoas perderam seu modo de vida, como a pesca ou o turismo e até mesmo o acesso a água potável.  

O relator da CPI, deputado Rogério Correia garantiu que irá "recomendar ao Ministério Público que responsabilize a Vale pelos atingidos indiretamente, como os que perderam animais”, disse.