Novo Coronavírus

Minas Gerais Empresários se reúnem com equipe de Kalil para discutir fechamento

Empresários se reúnem com equipe de Kalil para discutir fechamento

Comerciantes e donos de bares tentam negociar as restrições que proíbem atividades consideradas não essenciais em BH

Bares só podem vender por delivery ou retirada

Bares só podem vender por delivery ou retirada

Reprodução/RecordTV Minas

Comerciantes e donos de bares e restaurantes se reúnem com representantes da Prefeitura de Belo Horizonte, na tarde desta terça-feira (12), para discutir uma possível flexibilização do fechamento da cidade, inciado ontem.

Participam do encontro a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), AMIS (Associação Mineira de Supermercados), Associação Hipercentro, CMI/Secovi (Sindicato do Mercado Imobiliário de Minas Gerais) e CDL-BH (Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte).

Segundo os empresários, o grupo vai propor ao município alternativas às restrições aplicadas. Por enquanto, apenas as atividades consideradas essenciais podem funcionar, o que proíbe lojas de roupas, sapatos, salões de beleza, clínicas de estética, atividades em formato drive-in, academias, museus, cinemas, teatros, casas de shows.

Nesta segunda-feira (11), os donos de academias se encontraram com os representantes do Executivo Municipal e pediram a possibilidade de apresentar um plano de funcionamento com regras de proteção mais rígidas.

A prefeitura antecipou que vai observar os índices epidemiológicos para avaliar qualquer mudança nas medidas de isolamento. Ainda segundo a equipe do prefeito Alexandre Kalil (PSD), as reuniões tem como objetivo "construir conjuntamente alternativas e soluções para tentar minimizar os impactos da pandemia".

Para esta quarta-feira (13) está previsto um encontro com representantes da ACMinas (Associação Comercial de Minas Gerais).

Últimas