Minas Gerais Entregador brasileiro morre após ser atingido por carro em Londres

Entregador brasileiro morre após ser atingido por carro em Londres

Veículo que causou o acidente estaria em um 'racha'; jovem de 25 anos é natural de Unaí (MG) e se mudou para a Inglaterra em 2019

  • Minas Gerais | Rodrigo Dias, da Record TV Minas

Um entregador brasileiro, natural de Unaí, a 590 km de Belo Horizonte, morreu após ser atingido por um veículo que estaria disputando um ‘racha’ em uma rua movimentada de Londres, na Inglaterra.

O acidente aconteceu no dia 29 de maio. Marcos Mateus Matos Menezes Alves, de 25 anos, estava em uma motocicleta quando foi atingido por um dos carros que estariam realizando uma corrida ilegal. De acordo com testemunhas, o veículo estava acima da velocidade. O mineiro não resistiu ao impacto e morreu no local.

De acordo com a Polícia Metropolitana de Londres, a hipótese inicial é de que os pilotos estavam a uma velocidade superior ao permitido. Os dois suspeitos foram presos e, em seguida, liberados. O caso é investigado.

Alves estava na Inglaterra desde 2019. Ele tinha dois empregos e repassava parte da renda para a ex-esposa cuidar de suas duas filhas, de 3 e 5 anos, que estão no Brasil. A tia da vítima, Lúcia Menezes, conta que mãe de Alves foi avisada da morte do filho por um amigo.

Lúcia afirma que a família procurou a Embaixada do Brasil em Londres, mas que não recebeu um direcionamento detalhado do órgão. A tia da vítima também afirma que houve demora no atendimento do sobrinho.

— A ambulância aérea demorou 20 minutos. No final da rua do acidente tinha um hospital.

Mineiro morava em Londres desde 2019

Mineiro morava em Londres desde 2019

Reprodução / Record TV Minas

Motociclistas brasileiros e estrangeiros fizeram homenagens ao mineiro, colocando flores no local do acidente e realizando uma ‘motociata’ pelas ruas de Londres. Amigos realizaram uma vaquinha virtual para custear o transporte do corpo do jovem para o Brasil, mas o cadáver ainda não foi liberado porque a polícia ainda não realizou a autópsia.

Além de trazer o corpo de Alves para o Brasil, a família também está ansiosa pelo fim das investigações sobre o caso, como conta a tia da vítima.

— Duas pessoas que, segundo testemunhas, estavam alteradas por alguma substância, dirigindo em alta velocidade, sabendo que podiam causar um acidente, atingiram meu sobrinho. Um rapaz cheio de sonhos e planos.

Em nota, a Embaixada do Brasil em Londres informou que está à disposição para prestar assistência à família da vítima, respeitando os tratados internacionais e a legislação local. O órgão informou que não fornece detalhes sobre casos individuais.

Últimas