Novo Coronavírus

Minas Gerais Equipe de Betim (MG) vai à Rússia tentar viabilizar compra da Sputnik

Equipe de Betim (MG) vai à Rússia tentar viabilizar compra da Sputnik

Prefeito Medioli diz que não desistiu da negociação, mesmo após a Anvisa negar pedido de importação feito por Estados

Anvisa não autorizou Estados a importarem a vacina

Anvisa não autorizou Estados a importarem a vacina

REUTERS/Agustin Marcarian-28/01/2021

Representantes da Prefeitura de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, vão à Rússia entre os dias 10 e 11 de maio para tentar viabilizar a compra de 1,2 milhão de doses da vacina Sputnik V.

A informação foi divulgada pelo prefeito Vittorio Medioli, na noite desta terça-feira (27), após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negar pedido de um grupo de Estados para importação dos imunizantes contra a covid-19.

O órgão alegou que foi encontrou falhas de segurança associadas ao desenvolvimento do medicamento e não recebeu relatório técnico que comprove que foram seguidos padrões de qualidade.

Medioli disse que a decisão da Anvisa o pegou de "surpresa" e causou "enorme decepção". O prefeitou afirmou que embora respeito a decisão da Agência, espera que a liberação do imunizante possa acontecer nos próximos dias e garantiu que não vai desistir da compra.

— Não conseguimos finalizar [a compra de outros tipos de vacinas] até mesmo porque as propostas são por valor muito acima da média e nós, como entes públicos, não podemos compactuar com isto.

O anúncio da Prefeitura de Betim sobre a negociação para compra da Sputnik V foi feito no início do mês de março. A ideia da administração local é comprar 1,2 milhão de doses para imunizar os 450 mil habitantes da cidade e outras pessoas que trabalham no município.

A expectativa do Executivo Municipal era que as remessas começassem a chegar já no final de abril. Por enquanto, a prefeitura não informou nova previsão de data.

Últimas