Coronavírus

Minas Gerais Equipe de Kalil faz reunião para decidir futuro do comércio de BH

Equipe de Kalil faz reunião para decidir futuro do comércio de BH

Comitê da covid-19 vai analisar o avanço da pandemia registrado nesta semana na cidade; números preocupam médicos

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Médicos do comitê vão participar da reunião

Médicos do comitê vão participar da reunião

Hellen Oliveira / Record TV Minas

O comitê de combate à covid-19 de Belo Horizonte se reúne com a equipe do prefeito Alexandre Kalil (PSD), nesta quarta-feira (6), para analisar os dados da pandemia na cidade e avaliar se será necessário fechar o comércio na próxima semana.

A reunião acontece exatamente uma semana após Kalil convocar a imprensa e alertar que o município voltará a liberar apenas os serviços essenciais, caso os números do coronavírus não sejam controlados.

Segundo a prefeitura, as decisões do grupo vão ser divulgadas até esta sexta-feira (8), conforme havia avisado o prefeito.

A participação de Kalil na reunião de hoje ainda não é garantida, segundo fontes. Além dos médicos do comitê de monitoramento está confirmada a participação do secretário de Saúde, Jackson Machado.

Números preocupam

Embora o futuro do comércio na cidade ainda seja incerto, os números registrados da última semana para cá preocupam os membros do comitê.

O RT, índice que mede o rítmo da transmissão do vírus saiu da faixa verde em 0,96 para a fase amarela, em 1,07. Isso significa que cada grupo de 100 infectados transmite a doença para 107 pessoas.

A ocupação de UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) dedicada a casos de covid-19, que segue no alerta vermelho, subiu de 79% para 83,5%. Já a ocupação nas enfermarias passou de 65,3% para 67,3%, se mantendo no patamar amarelo.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde recenheceu a alta nos números e informou que monitora os índices diariamente para adotar as medidas necessárias. "O aumento da demanda também pode ser observado em toda a rede própria do SUS-BH, especialmente em relação a pacientes com suspeita da Covid-19. O mesmo acontece com os atendimentos do Samu", destacou a pasta.

Últimas