Novo Coronavírus

Minas Gerais Escolas de Minas Gerais vão poder terminar atual ano letivo em 2021

Escolas de Minas Gerais vão poder terminar atual ano letivo em 2021

Conselho de Educação liberou a ampliação da carga horária e realização de tarefas não presenciais em contraturno para cumprir metas do calendário

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Aulas presenciais em Minas estão suspensas

Aulas presenciais em Minas estão suspensas

Reprodução / Pixabay

O CEE-MG (Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais) divulgou, neste sábado (30), uma resolução que libera as escolas a readequarem o calendário e, assim, concluir o ano letivo de 2020 em 2021.

A medida faz parte das orientações dadas para minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus no sistema de ensino, já que o CNE (Conselho Nacional de Educação) determinou que a carga horária mínima de 800 horas deve ser cumprida.

O texto publicado no Diário Oficial do Estado nesta manhã indica que, para cumprir o calendário, os colégios vão poder ampliar a carga horária diária do turno e propor atividades remotas em contraturno, quando as aulas presenciais voltarem.

No caso das escolas públicas, a decisão sobre a reorganização vai caber à SEE (Secretaria de Estado de Educação). Já em relação aos colégios particulares, a proposta ficará a cargo de cada instituição.

Leia também: MG terá força-tarefa para superar defasagem de teleaulas

O Conselho Estadual destacou, no entanto, que o plano de reposição deve considerar dificuldades que possam vir a ser enfrentadas para cumprimento das estratégias. Além disto, os fins de semana livres, férias e recessos escolares não poderão ser deixados de lado, para garantir a “recuperação física e mental de professores e estudantes”.

"Deve-se garantir que o calendário escolar seja adequado às peculiaridades locais, inclusive climáticas, econômicas e de saúde, sem, com isso, reduzir o número de horas letivas previsto em Lei, ou seja, sem redução das 800 (oitocentas) horas de atividade escolar obrigatória”, indica a resolução.

Procurada, a SEE informou que a redefinição do calendário escolar vai depender do retorno das aulas presenciais, o que ainda não há previsão para ocorrer. Segundo a pasta, a retomada das atividades depende do aval das equipes de saúde.

Aulas suspensas

O Governo de Minas suspendeu as aulas presenciais no Estado desde o início da pandemia. No dia 18 de maio, a rede pública estadual retomou as atividades de forma remota, com a distribuição de apostilas aos alunos e realização de videoaulas que são exibidas na Rede Minas, canal de TV estatal.

Algumas escolas particulares também adotaram o sistema de ensino online. Já em relação às instituições municipais, a decisão ficou por conta de cada prefeito. Nesta semana, a cidade de Coronel Fabriciano, a 200 km de Belo Horizonte, tentou retomas as atividades presenciais, mas foi barrada pela Justiça.

Confira a íntegra da nota da SEE:

"A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informa que as atividades presenciais na rede estadual de ensino continuam suspensas por tempo indeterminado. O retorno às salas de aula depende do andamento da curva epidemiológica de contaminação por Covid-19 no estado e seguirá sempre as orientações da Secretaria de Estado de Saúde (SES). O Conselho Estadual de Educação (CEE) e a SEE/MG também aguardam a homologação da resolução do Conselho Nacional de Educação com as regulamentações complementares no âmbito da educação básica brasileira.

Dessa forma, a definição do calendário de 2020 guarda relação com o retorno das atividades presenciais. Momento que será definido quando as autoridades de saúde sinalizarem a possibilidade de não haver mais riscos para professores, alunos e suas famílias."

Últimas