Novo Coronavírus

Minas Gerais Estado de calamidade em Minas deve ser prorrogado até dezembro

Estado de calamidade em Minas deve ser prorrogado até dezembro

Pedido foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo), que encaminhou relatório financeiro e com medidas adotadas no combate à pandemia

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Reunião entre os chefes do Executivo e Legislativo foi feita via videoconferência

Reunião entre os chefes do Executivo e Legislativo foi feita via videoconferência

Divulgação/Imprensa MG/Pedro Gontijo

O governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo) pediu que a Assembleia de Minas prorrogue o estado de calamidade pública em Minas até o fim do ano, em decorrência da crise gerada pela pandemia de covid-19. A Resolução 5.529, aprovada em 25 de março, que reconhece o estado de calamidade pública tem validade até 20 de julho.

O chefe do Executivo mineiro destacou que o Estado ainda não passou pelo pico da pandemia e que estender o prazo "é importante para que o Estado continue implementando novas medidas”.

A declaração foi dada durante uma videoconferência com o presidente da Assembleia, Agostinho Patrus (PV) e outros parlamentares nesta quarta-feira (8), quando Zema apresentou o relatório financeiro e de ações de combate à  pandemia.  Patrus garantiu que pautaria a renovação do projeto para a próxima reunião de plenário da Assembleia. 

O relatório compreende o período de 25 de março a 25 de junho, portanto, dentro do período que abrange o estado de calamidade pública e é uma condição imposta pela Resolução, que prevê que o governador encaminhe, a cada trimestre, um relatório com a evolução das receitas e despesas e as medidas adotadas durante o período. 

O documento tem mais de 200 páginas e contém dados com ações tomadas por cada uma das secretarias, inclusive a de Saúde, que detalha ações como investimento em leitos, construção de hospital de campanha e respiradores, além do Programa Minas Consciente.

Programas de assistência, como o Bolsa Merenda e o Protege Minas também constam no texto. 

Últimas