Ex-presidente da Vale culpa Tüv Süd por rompimento de barragem

Em depoimento prestado à Polícia Federal, Fábio Schvartsman disse que era "impensável" uma declaração falsa, "um laudo de algo que não é"

Schvartsman perdeu cargo após tragédia

Schvartsman perdeu cargo após tragédia

Edilson Rodrigues/Agência Senado

O ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman, culpou a empresa de consultoria alemã Tüv Süd, responsável por atestar a estabilidade da barragem de Brumadinho, que se rompeu há um ano, pela tragédia. 

— A maior responsável é a Tüv Süd. Pra mim, era impensável uma declaração falsa dessa categoria, que vive de atestar segurança de barragem. Pra mim é inimaginável que alguém vá dar um laudo de algo que não é 

A declaração foi dada em depoimento à força-tarefa que investiga as causas do rompimento da barragem. 

Em um primeiro inquérito da PF, sete funcionários da Vale e seis da consultoria alemã foram indiciados por falsidade ideológica e uso de documentos falsos para liberar as licenças da barragem. 

Os investigadores já sabem que o excesso de água na barragem levou ao colapso da estrutura, mas não descartam que tremores de terra tenham relação com o desastre. 

Análises em laboratórios da Universidade do Porto, em Portugal, e de Barcelona, na Espanha, deverão ajudar a esclarecer o que aconteceu, de acordo com o delegado da Polícia Federal Luiz Augusto Pessoa Nogueira.

— Somente a partir daí poderemos dizer se foi crime de homicídio doloso ou culposo

Processo

São mais de 80 milhões de arquivos juntados a um processo gigantesco. Os inquéritos em andamento já somam mais de 8 mil páginas. Os volumes incluem dados de satélites e sismógrafos, informações de computadores e celulares, e a perícia recuperou até arquivos corrompidos ou que já tinham sido apagados.


O rompimento da barragem de Brumadinho completa um ano no dia 25 de janeiro. Até o momento, 259 pessoas morreram e 11 estão desaparecidas.