Minas Gerais Ex-secretário acusado de matar candidato em MG vai a juri popular

Ex-secretário acusado de matar candidato em MG vai a juri popular

Crime aconteceu em setembro de 2020, em Patrocínio, após a vítima fazer uma live denunciando obras da gestão do suspeito

Vídeo mostra Marra interrompendo live

Vídeo mostra Marra interrompendo live

Reprodução/Redes sociais

A Justiça determinou que o ex-secretário de Obras de Patrocínio, a 320 km de Belo Horizonte, seja julgado em juri popular pela morte do então pré-candidato a vereador da cidade Cássio Remis (PSDB).

O crime aconteceu em setembro de 2020. Marra responde por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e dissimulação que dificulte defesa da vítima). A pena pode chegar a mais de 30 anos de prisão.

Ainda não há data definida para o julgamento, que foi determinado pela Vara Criminal de Patrocínio. Procurada, a defesa de Jorge Marra informou que vai recorrer da decisão.

Relembre o caso

Cássio Remis morreu no dia 24 de setembro pouco depois de fazer uma live denunciando que uma obra da Prefeitura de Patrocínio supostamente iria beneficiar o gabinete de campanha do então candidato à reeleição, Deiró Marra (DEM), irmão do acusado do crime.

Jorge Marra, até então secretário de Obras da cidade, interrompeu a transmissão. Segundo a Polícia Militar, neste momento, Marra tomou o telefone das mãos do pré-candidato e foi para a sede da secretaria.

Leia também: Mãe de pré-candidato morto em Patrocínio é eleita vereadora mais votada

A denúncia aponta que, em seguida, Remis foi atrás de Marra para reaver o aparelho. Os dois se encontraram em frente à Secretaria de Obras e discutem até que Marra pega uma arma de fogo dentro de uma caminhonete e atira contra o pré-candidato tucano. Um circuito de segurança flagrou a cena.

Marra foi preso três dias depois e segue em um presídio da região. O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) o denunciou pelos crimes no dia 14 de outubro de 2020.

Últimas