tragédia brumadinho
Minas Gerais Excesso de doações e contas falsas preocupam governo de Minas Gerais

Excesso de doações e contas falsas preocupam governo de Minas Gerais

Além de pontos de arrecadação em todo o país, contas bancárias estão sendo divulgadas nas redes sociais. Polícia alerta para possíveis golpes 

Voluntários separam doações em Brumadinho (MG)

Voluntários separam doações em Brumadinho (MG)

Cadu Rolim/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O governo de Minas Gerais pede para que não sejam mais enviadas doações para as vítimas de Brumadinho. Em um comunicado oficial, a Defesa Civil Estadual agradece a solidariedade e informa que “os donativos arrecadados já são o suficiente”.

Leia também: Moradores de Brumadinho são acordados com sirenes

“O que nós observamos é que em Brumadinho tem menos desabrigados do que em Mariana. E já chegaram muitas doações na cidade”, diz Tiago Neves do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens).

“Tanto em Mariana como em Barra Longa as doações se tornaram um problema porque não havia onde guardar. Muita coisa se perdeu”, explica Neves.

Mensagem de alerta para arrecadações falas feita pelo Governo de Minas

Mensagem de alerta para arrecadações falas feita pelo Governo de Minas

Reprodução


Contas bancárias e voluntários

Com o engajamento de centenas de pessoas nas redes sociais, contas bancárias começaram a ser divulgadas em perfis no Facebook e mensagens no Whatsapp. O Major Flávio Santigo, porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais, alertou a população para possíveis golpes de contas falsas.


“Se a pessoa não conhecer a fonte que está solicitando qualquer tipo de valor, não faça nenhuma doação”, ressaltou o major.

Sobre os voluntários que estão se dirigindo para a Brumadinho, o major ressalta que também não há necessidade. "Não há, no momento, necessidade desse apoio. Até porque nós ampliamos a área do perímetro de segurança. Então, todo e qualquer voluntário que por aqui aporte também não será, no momento, ativado,"