Novo Coronavírus

Minas Gerais Falsa enfermeira estaria vacinando em MG desde o início de fevereiro

Falsa enfermeira estaria vacinando em MG desde o início de fevereiro

Segundo a Polícia Federal, havia seringas usadas entre o material encontrado na casa da mulher, em Belo Horizonte

  • Minas Gerais | Helen Oliveira, da Record TV Minas

Falsa enfermeira teria atendido centenas de pessoas

Falsa enfermeira teria atendido centenas de pessoas

Reprodução/Record TV

A falsa enfermeira suspeita de vacinar empresários ilegamente em Belo Horizonte já estaria aplicando os supostos imunizantes contra a covid-19 desde o último dia 14 de fevereiro.

A informação é da Polícia Federal, que tenta identificar todas as pessoas que teriam sido atendidas por Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas.

Nesta sexta-feira (9), a PF confirmou que parte das seringas encontradas na casa da investigada estava usada, enquanto outra parte era de produtos novos. No local também foram achadas vacinas contra gripe e soro fisiológico.

Os investigadores tentam descobrir se os supostos imunizantes aplicados por Cláudia eram falsos. A PF já recebeu dois exames feitos espontaneamente por pessoas que receberam o medicamento da falsa enfermeira. Os documentos atestaram que elas não estão imunes contra a covid-19. Agora, os resultados vão passar por perícia.

Investigação

Nesta sexta-feira, a Polícia Federal colheu depoimento de uma testemunha que sabia da rotina de Júnior das Dores Guimarães, genro e motorista da falsa enfermeira. É ele quem aparece em vídeos divulgados pela reportagem esbanjando dinheiro.

O carro usado por Guimarães era alugado. Ele teria ficado com o veículo entre os dias 10 e 30 de março, quando apreendido. Nesta tarde, a proprietária teve o carro liberado pela Polícia Federal. Os investigadores vão continuar colhendo depoimentos nas próximas semanas.

Últimas