Família acusa guardas de quebra-quebra após jovem fugir de blitz 

Um motociclista não parou na blitz e fiscais deram início à perseguição; mas família do suspeito diz que guardas invadiram a casa e quebraram tudo

Familiares gravaram momento que guardas entram na casa

Familiares gravaram momento que guardas entram na casa

Reprodução

Uma confusão envolvendo agentes da Guarda Municipal e uma família marcou a madrugada deste sábado (23), no bairro Forte Grande, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Tudo começou quando um jovem de moto não atendeu a ordem de parada em uma blitz e fugiu para casa. 

A família do suspeito, porém, denuncia que os agentes invadiram e quebraram tudo dentro do local. Uma senhora caiu da escada quando seguia atrás dos guardas dentro de casa. Ela diz que foi agredida.

— Ele me deu um safanão, um tapa no rosto. Eu não sei dizer quem foi, mas foi um guarda municipal.

De acordo com o boletim de ocorrência, um carro da guarda passava próximo a um conjunto habitacional do bairro Vila Itália quando os guardas perceberam um motociclista em atitude suspeita.

Sem carteira de habilitação, o homem desobedeceu a ordem de parada e fugiu para guardar o veículo na garagem de casa. Foi quando, de acordo com os presentes, os fiscais invadiram o local e começaram a agressão. A mãe do dono da moto, que também foi levado para a delegacia, não se conforma com a maneira como o filho foi abordado.

— Eles jogaram ele ao solo e já algemaram, falando que ele fez desacato. Então apontaram uma arma, uma escopéta na cabeça dele, como se ele fosse um bandido e jogaram ele dentro da viatura da Guarda Municipal

A estudante Rafaela Torres, irmã de um dos envolvidos na confusão, conta que o sobrinho tentou argumentar com os guardas e também foi algemado.

— Dá para ver claramente [nas imagens] o meu irmão apanhando dos guardas, na covardia mesmo. E quando meu sobrinho, menor de idade, chegou, pediu para parar, eles pegaram ele também

Outro lado

A Guarda Municipal de Contagem, porém, afirma que os suspeitos agrediram os fiscais. Em entrevista à RecordTV Minas, o superior Alexandre Concesso disse que os guardas "trabalharam com a máxima tranquilidade, a fim de estabilizar o local e garantir a segurança das pessoas que estavam bastante nervosas. Ao final, três pessoas foram presas.

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli