Minas Gerais Família é feita refém em casa e tem armas roubadas em Betim (MG)

Família é feita refém em casa e tem armas roubadas em Betim (MG)

Dois homens renderam um casal e três filhos e levaram armas, munições, joias e uma caminhonete; criminosos não foram encontrados

  • Minas Gerais | Marcella Gasparete, da RecordTV Minas

Homens teriam entrado pela mata

Homens teriam entrado pela mata

Reprodução/Google Maps

Dois homens roubaram a casa de um empresário dentro de um condomínio de luxo em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na manhã dessa segunda-feira (1º) e fizeram a família dele refém.

De acordo com boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, o empresário afirmou que foi roubado por dois indivíduos, sendo um deles armado, em sua casa no Condomínio Vale da Serra. Os criminosos levaram R$ 150 mil em dinheiro, duas armas de fogo, um veículo Amarok, além de jóias e relógio.

Segundo o relato, o homem estava com a esposa e três filhos, de 2, 4 e 5 anos, por volta das 6h40. Quem descobriu que a casa estava sendo invadida foi um dos filhos do casal, que se levantou para ir ao banheiro e se deparou com um dos autores escondido lá dentro. O outro estava na varanda de sua residência.

Os autores teriam entre 20 e 30 anos e um deles portava uma arma de fogo.

Roubo

A vítima relatou que eles entraram no quarto dele e o que estava armado anunciou o assalto. Ele disse que sabia que ele possuía três armas e três cofres e disse que queria as armas e o dinheiro. A vítima pediu para os autores deixaram sua mulher e seus filhos no outro quarto e que mostraria tudo a eles.

Após pegarem os objetos do cofre que ficava no closet do quarto de casal, os criminosos continuaram revirando a casa e descobriram um outro cofre, onde estavam escondidos uma pistola  9 mm e 50 munições. Os suspeitos ainda pegaram as jóias da esposa.

Depois disso, o homem teria sido amarrado com fita adesiva - que os assaltantes levaram - e trancados no quarto. A vítima disse aos militares que conseguiu ouvir os autores fugindo do carro dele. Ele então conseguiu pedir ajuda pela janela do quarto ao vizinho. O vizinho chegou no local e ligou para a PM.

Resgate

Ao entrarem na casa, os militares liberaram a família e o empresário contou que somente um marceneiro, que fez os móveis planejados da casa sabia sobre o esconderijo das armas. Por coincidencia, o homem estaria trabalhando em outra casa do mesmo condomínio.

O marceneiro foi ouvido e teria dito que fez os móveis da casa há seis anos e que, na época, trabalhava em uma empresa de móveis planejados em Belo Horizonte junto a outros três funcionários.

Ele também afirmou que fez uma reforma na casa no começo desse ano e trabalhou com dois funcionários por contra própria, e que eles também sabiam onde estava o cofre. O marceneiro soube passar o primeiro nome e telefone desses funcionários e ambos moravam na mesma rua que ele, no bairro Capelinha, também em Betim.

A esposa disse que um dos autores, ao trancá-la no quarto junto com os filhos, disse pra ela não se preocupar que a funcionária já estava chegando para soltá-los. A funcionária trabalha no local há quatro anos e também teve seu nome incluído no boletim de ocorrência.

A vítima suspeita que os autores entraram pela mata que circunda o condomínio, pois os funcionários do local acharam vestígios de escavação por baixo da cerca. Eles ainda não foram encontrados.

Últimas