Novo Coronavírus

Minas Gerais Família entra na Justiça para garantir UTI para idosa com covid

Família entra na Justiça para garantir UTI para idosa com covid

Paciente só conseguiu ser atendida no Hospital Regional de Betim (MG) após família conseguir liminar; cidade alega que Estado determina transferências

A família de uma idosa de 66 anos moradora de Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte, entrou na Justiça para conseguir um leito de terapia intensiva para a paciente, que está com suspeita de covid-19.

Maria José deu entrada em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da cidade na última quinta-feira (10) com sintomas da covid-19 e, horas depois, precisou ser entubada.

Com o agravamento do quadro de saúde da idosa e com a falta de leitos de terapia intensiva em Mateus Leme, a equipe médica solicitou, com urgência, que a idosa fosse transferida para outro hospital da região, mas o pedido foi negado.

undefined

undefined

Reprodução / Record TV Minas



A cozinheira Gleicy Maria de Oliveira, filha da paciente, diz que a solicitação para internação da mãe foi feita no mesmo dia, mas o pedido foi negado pelo Hospital Regional de Betim.

Segundo ela, hospitais de Belo Horizonte também negaram a transferência.

— O Hospital Regional de Betim passava a demanda para Belo Horizonte, mas o pedido era negado e retornava a Betim.

Judicialização

Desesperada e sem saber o quê fazer, a família de Maria José decidiu entrar na Justiça e conseguiu, rapidamente, uma liminar determinando que a paciente fosse atendida no Hospital Regional de Betim. Na cidade, a ocupação dos leitos intensivos está em 55%.

O secretário adjunto de Saúde de Betim, Augusto Viana, alega que a transferência de pacientes é determinada por um órgão regulador estadual, responsável por aceitar ou negar as solicitações de leitos.

— A central de leitos do Estado que regula as transferências. Vale lembrar que Betim atende outros 12 municípios, cerca de 900 mil habitantes.

A filha da paciente, Gleicy de Oliveira, se sente melhor agora, ao saber que a mãe está tendo um atendimento melhor. Mesmo além, ela relembra os outros pacientes que estavam na mesma situação da mãe e que não acionaram a Justiça.

— Tinham mais 16 pessoas na mesma situação da minha mãe. Isso me revolta. Estão divulgando por aí que existe vaga livre. Se tem vaga, por que não esses pacientes não estão transferidos?

Últimas