Minas Gerais “Foi uma injustiça”, diz avó que foi parar na delegacia por colocar neta em coleira

“Foi uma injustiça”, diz avó que foi parar na delegacia por colocar neta em coleira

Segundo o Conselho Tutelar, menina não era vítima de maus tratos

“Foi uma injustiça”, diz avó que foi parar na delegacia por colocar neta em coleira

A menina estava presa pela cintura

A menina estava presa pela cintura

Record Minas

“Uma injustiça”. Para a mulher de 56 anos que foi parar na delegacia depois de sair para passear com a neta, de dois anos de idade, em uma espécie de coleira, foi isso que aconteceu. O caso foi registrado nessa quinta-feira (23) em Divinópolis, na região central de Minas.

A avó amarrou a alça de uma bolsa na cintura da criança e saiu para fazer compras em um supermercado no centro da cidade. Indignados, os clientes acionaram a Polícia Militar. Foram mais de 50 denúncias. A mulher diz que teve a neta arrancada dos braços bruscamente dentro do estabelecimento.

— Eles pegaram ela de qualquer maneira e ela gritava e olhava para mim pedindo socorro.

Leia mais notícias no R7 MG

Neuza Almeida mora com a filha e com criança. Quando a mãe sai para trabalhar, ela leva a menina para passear. Com medo de perder neta, ela improvisou a alça de uma bolsa para tentar segurá-la.

A ideia surgiu depois que a avó viu na televisão um tipo de “coleira” para crianças. Ela resolveu copiar, mas de maneira artesanal.

O Conselho Tutelar não encontrou sinais de violência na menina. A Polícia Civil ainda vai analisar as imagens gravadas pelas câmeras de segurança do supermercado.