tragédia brumadinho
Minas Gerais Funcionários da Vale deixam presídios em Minas Gerais

Funcionários da Vale deixam presídios em Minas Gerais

Oito empregados da empresa foram presos durante investigação sobre o rompimento em Brumadinho; STJ concedeu habeas corpus aos detidos

Investigados trabalhavam na Mina Córrego do Feijão

Investigados trabalhavam na Mina Córrego do Feijão

Reprodução / Record TV Minas

Os oito funcionários da Vale que foram presos durante a investigação do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, foram soltos na noite desta quinta-feira (28). Seis homens estava detidos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de BH. Duas mulheres que ainda aguardavam a liberação também saíram da cadeia feminina Estevão Pinto, na capital mineira.

O ministro Nefi Cordeiro, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), concedeu habeas corpus aos detidos, na tarde de ontem. Na decisão, o magistrado alegou "falta de justificativa na manutenção da prisão".

Os oito funcionários da companhia foram detidos no dia 15 de fevereiro. Segundo o MPMG (Ministério Público de Minas Gerais), eles trabalhavam em setores responsáveis pela garantia da estabilidade da barragem da mina Córrego do Feijão.

As investigações apontam que os suspeitos teriam conhecimento de anormalidades na barragem. Dias antes da tragédia, alguns dos funcionários conversaram com técnicos da empresa alemã responsável pelos laudos de segurança.

A estrutura rompeu no dia 25 de janeiro, deixando 182 mortos e 129 desaparecidos.