Minas Gerais Funed e Hemominas pagam R$ 700 mil em auxílio-creche na pandemia

Funed e Hemominas pagam R$ 700 mil em auxílio-creche na pandemia

Fundações fizeram repasse durante ano em que o serviço foi suspenso em virtude da covid-19 em todos os Estados do País

  • Minas Gerais | Vinícius Rangel, da RecordTV Minas

Funed repassou R$ 499 mil a servidores

Funed repassou R$ 499 mil a servidores

Reprodução / Google Street View

Em um ano de isolamento, alunos em casa e arrocho nas contas do Estado, as fundações Ezequiel Dias e Hemominas, gastaram R$ 773,5 mil com auxílio-creche ou assistência pré-escolar, em 2020.

A Funed, principal responsável pelas análises de exames da covid no Estado, desembolsou mais: um total de R$ 499,8 mil para um grupo de 130 servidores.

Os valores, no entanto, não são igualitários para cada funcionário. Uma servidora, recebeu sozinha ao longo do ano R$ 10.907,35. Enquanto o reembolso para outra funcionária foi de apenas R$ 351,85 durante o ano.

Já a Fundação Hemominas, não traz no Portal da Transparência do Estado o detalhamento de pagamentos para cada servidor, aponta apenas os valores mensais. No ano, foram gastos R$ 273.751,67 com o benefício. O mês com maior valor pago foi abril R$ 29.467,97. Já novembro o gasto foi mais o mais baixo R$ 19.510,18.

Auxílio regulamentado

Em nota, a Fundação Ezequiel Dias informou que o pagamento do auxílio é regulamentado por uma portaria da fundação e um decreto do Estado e que prevê o teto de R$351,85 por criança, podendo ser pago um valor inferior caso e a mensalidade não chegue ao teto, havendo também casos de pais que possuem mais de uma criança, fazendo jus a mais de um benefício recebendo assim um valor maior.

Sobre o pagamento feito mesmo com as escolas e creches fechadas a partir de março, a Funed disse que as instituições educacionais particulares continuaram cobrando mensalidades. O percentual cobrado variou de acordo com a negociação feita em cada instituição de ensino.

Já a Fundação Hemominas informou que o benefício é uma concessão da fundação aos servidores que tem filhos até 6 anos de idade. Atualmente, são 126 servidores que estão inscritos para receber o benefício.

O valor pago para cada servidor é proporcional a carga horária trabalhada. Para os da capital mineira, o valor vai de R$ 263,89 a R$ 351,85. Já para os do interior, de R$ 185,31 a R$ 248,64, por criança.

Sobre a variação do gasto de um mês para outro, a Fundação informou que o reembolso é feito de acordo com o pedido do servidor. Em abril 101 colaboradores fizeram o pedido, já em novembro, apenas 77. Ainda de acordo com a instituição, alguns servidores decidiram afastar os filhos das escolas e por isso não houve o reembolso.

Últimas