Novo Coronavírus

Minas Gerais Governador de MG não vê risco para professores em retorno ao trabalho

Governador de MG não vê risco para professores em retorno ao trabalho

A equipe de Zema convocou os servidores da rede pública de educação em meio à pandemia do coronavírus; maioria deve trabalhar remotamente

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Zema diz que professores vão ter suporte

Zema diz que professores vão ter suporte

Divulgação / Governo de Minas / Gil Leonardi

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), defendeu durante entrevista à Record TV Minas, nesta terça-feira (14), que não está colocando os professores da rede pública em risco ao convocá-los de volta ao trabalho durante a pandemia do novo coronavírus.

O chefe do Executivo destacou que a maior parte dos servidores vão exercer as atividades remotamente. No caso daqueles que não puderem trabalhar de casa, Zema garante que terão a estrutura necessária para realizar as atividades.

O governador defendeu que as escolas precisam ter uma quantidade mínima de funcionários trabalhando nos locais para garantir a manutenção do espaço e para manter os dados das instituições atualizados.

– Os professores que vão ir às escolas são uma parcela pequena. Em uma escola com 20 ou 30 salas, se um professor trabalhar dentro de uma delas, vai estar mais seguro que do lado de fora.

Volta ao trabalho

Segundo decreto do Governo do Estado, os diretores, coordenadores, secretários, faxineiros, porteiros e cantoneiros devem volta ao trabalho nesta terça-feira.

Como o Estado não voltou atrás da decisão, o Sind-UTE/MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais) convocou os servidores das escolas estaduais para entrar em greve.

O cronograma da SEE (Secretaria de Estado de Educação) prevê que os professores comecem as atividades no dia 22 de abril e as aulas retornem em 4 de maio em um “regime não presencial”. O governo afirma que vai dar detalhes sobre a dinâmica do ensino até o final desta semana.

Veja mais: 

Últimas