Novo Coronavírus

Minas Gerais Governo de MG ainda quer volta das aulas presencias antes de vacinação

Governo de MG ainda quer volta das aulas presencias antes de vacinação

Secretária diz que equipe tenta reverter a decisão judicial que impede o retorno; Estado vai recolher sugestões da população sobre educação

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Governo diz que presença não será obrigatória

Governo diz que presença não será obrigatória

Reprodução / Freepik

O Governo de Minas ainda espera conseguir retomar as aulas presenciais antes de uma campanha de vacinação em massa contra a covid-19, que segue sem data oficial.

A informação foi confirmada pela secretária de Educação, Julia Sant'Anna, durante balanço da pasta apresentado na manhã desta quinta-feira (17).

Para que o objetivo seja alcançado, no entanto, a secretaria precisa reverter uma decisão judicial que impede a presença dos professores e alunos nas salas de aula.

— Nosso desejo é conseguir fazer esta sensibilização junto ao Tribunal de Justiça para a retomada das aulas presenciais híbridas, sempre em consonância com os protocolos de saúde.

Julia Sant'Anna explica que deseja a retomada das atividades presenciais, principalemente, devido à aproximação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

— A gente vem olhando com muita preocupação o fato de termos cinco Estados que retomaram as atividades. Isso é risco muito grande para os mineiros que tiveram a reativação.

Mesmo com a distribuição de atividades remotas, o Governo de Minas espera que o ano letivo de 2020 seja concluído em janeiro de 2021. A previsão inicial aponta que o calendário do próximo ano se inicie no mês de março, sendo fevereiro o mês dedicado às férias dos alunos.

Presença

A secretária lembrou que, caso a provado o retorno, a presença do aluno não será obrigatória. Assim, o Estado deve manter os sistema de ensino remoto, criando o que Julia chama da educação "híbrida".

Leia também: MG vai aguardar plano do Governo Federal de vacinação

A escala de retomada das aulas, no entanto, pode ser alterada. Inicialmente, o Estado previa começar pelos estudantes do 3º ano do ensino médio e incluir os demais ciclos a cada 14 dias. Julia, no entanto, explica que a programação pode ser revista junto à SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Consulta pública

Durante a coletiva, o Governo Estadual também anunciou o início de uma consulta pública para receber da população sugestões para serem adotadas no sistema de educação estadual em 2021.

Segundo a secretária Julia Sant'Anna, entre os assuntos que os moradores poderão opinar está um possível rodízio semanal dos estudantes durante a pandemia, caso as aulas presenciais sejam autorizadas.

O questionário vai estar disponível no site da Secretaria de Estado de Educação a partir desta sexta-feira (17). Os interessados podem participar da pesquisa até o dia 18 de janeiro. A expectativa do governo é apresentar os resultados da pesquisa até fevereiro de 2021.

Resultados

Durante a coletiva, Julia Sant'Anna avaliou como positivo o resultado do trabalho desenvolvido na Secretaria de Educação nos dois primeiros anos da gestão Zema.

Outro destaque apresentado é em relação às vagas de escolas de tempo integral na rede que eram 12 mil em 2019 e devem chegar a 43 mil em 2021. Segundo a secretária, a rede estadual tinha 78 escolas com esta modalidade há dois anos. O número deve chegar a 393 no próximo ano.

— É importante destacar que o Estado segue desafio profundo em relação à situação financeira e fiscal, mas a gente está trabalhando muito para fazer a expansão da rede de forma responsável.

Últimas