Coronavírus

Minas Gerais Governo de MG desistirá de Sputnik se não receber as doses neste mês

Governo de MG desistirá de Sputnik se não receber as doses neste mês

Secretário de Saúde avalia que negócio ficará inviável após a data, já que o Estado pretende vacinar toda população até setembro

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Anvisa deu autorização especial para importar Sputnik

Anvisa deu autorização especial para importar Sputnik

Majid Asgaripour/WANA via Reuters - 09.02.2021

O Governo de Minas Gerais deve desistir de comprar um lote com 428 mil doses da vacina russa contra a covid-19, Sputnik V, caso as doses não sejam entregues até o fim deste mês de julho.

A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, nesta sexta-feira (23).

O representante do governo explica que a negociação vai ficar inviável após a data, já que o Estado planeja aplicar a primeira dose em todos os moradores com mais de 18 anos até o mês de setembro. Lotes de vacina que serão doados ao Brasil nas próximas semanas pelos Estados Unidos e pelo Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde.

— Pelo que estou percebendo, quem tem contrato há mais tempo, como o Consórcio do Nordeste [brasileiro], ainda não recebeu a vacina.

Apesar da baixa expectativa em relação ao prazo, Baccheretti garante que as tratativas com o Fundo Soberano Russo, responsável pela venda da vacina do laboratório estatal Gamaleya, não foram encerradas.

Caso o negócio vá adiante, o pagamento pelas vacinas será feito pelo Governo de Minas. Conforme apurado pela reportagem, a transação deve custar R$ 22 milhões.

A gestão do governador Romeu Zema conseguiu uma autorização especial da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para importar o medicamento, assim como ocorreu com outros Estados. Em contrapartida, o órgão definiu que a vacina, ainda sem autorização, em todo país só pode ser aplicada em 1% da população mineira.

Últimas