Governo de MG não prevê abertura de academias antes de setembro

Segundo a Secretaria de Saúde, nenhuma cidade do Estado deve começar na terceira fase de flexibilização no novo Minas Consciente

Academias poderão abrir na fase 3 da flexibilização

Academias poderão abrir na fase 3 da flexibilização

Divulgação/Pixabay

A SES (Secretaria de Saúde de Minas Gerais) não tem previsão de liberar o funcionamento de academias, cinemas e clubes nas cidades que adotam o programa Minas Consciente antes do mês de setembro.

A informação foi confirmada pelo secretário adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, durante coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (3). O representante do Governo explica que a nova versão do programa Minas Consciente, que começa a valer nesta quinta-feira (6), libera estes serviços apenas na última fase do plano. Segundo Cabral, nenhuma cidade deve começar no novo projeto já neste nível.

Veja: BH mantém comércio fechado e vai analisar reabertura parcial

— Não haveria esta possibilidade, já que para passar da fase amarela [de restrição leve] para verde [com menor restrição] é necessário aguardar de 28 dias.

Na última semana, o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, calculou que aproximadamente 300 das 853 cidades mineiras terão capacidade de iniciar na nova versão do plano já na fase dois, batizada de onda amarela, que libera a abertura de bares e restaurantes.

O Minas Consciente é um programa do Governo Estadual que orienta como deve acontecer a retomada econômica nos municípios mineiros. O programa foi lançado no dia 28 de abril e ganhou uma nova versão anunciada na semana passada.

Veja: Um mês após reabertura, BH triplica número de mortos por covid-19

Inicialmente, a adesão ao projeto era opcional. Entretanto, o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) emitiu um despacho no início de julho que obriga as prefeituras a seguirem o plano ou seguirem as normas da deliberação estadual 39, que estabelece regras mais rígidas de isolamento, permitindo a abertura apenas dos serviços essenciais. De acordo com o Governo de Minas, 351 cidades fazem parte do projeto atualmente.

Veja o que deve funcionar em cada onda do novo Minas Consciente:

Onda Vermelha – Serviços essenciais: supermercados, padarias, farmácias, bancos, depósitos de material de construção, fábricas e indústrias, lojas de artigos de perfumaria e cosméticos, hotéis;

Onda Amarela – Serviços não essenciais: bares, restaurantes, lojas de artigos esportivos, eletrônicos, floriculturas, autoescolas, livrarias, papelarias, salões de beleza;

Onda Verde – Serviços não essenciais com alto risco de contágio: academias, teatros, cinemas, clubes.