Novo Coronavírus

Minas Gerais Governo vai repor nesta semana as vacinas perdidas em Igarapé (MG)

Governo vai repor nesta semana as vacinas perdidas em Igarapé (MG)

Falha em refrigerador aqueceu e inutilizou 229 doses da CoronaVac que seriam aplicadas em idosos e profissionais da saúde

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Amanda Perobelli/Reuters

O Governo de Minas se comprometeu a repor, até o fim desta semana, as 229 doses da CoronaVac que foram inutilizadas após uma falha no refrigerador, na cidade de Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A informação foi confirmada à reportagem pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), na tarde desta quarta-feira (17). O caso é investigado pela Polícia Civil, pelo Governo Estadual e pelo Ministério Público de Minas Gerais.

A reposição das doses era uma preocupação do secretario Municipal de Saúde, Leonardo Barberá. Nesta terça-feira (16), o representante da prefeitura relatou ao R7 que tem até a próxima terça-feira (23) para conseguir novas ampolas e aplicar a segunda dose em 77 profissionais de saúde.

— O meu medo é ter que aplicar estas 77 doses novamente, além de já ter perdido as 229.

De acordo com a coordenadora estadual de Imunização, Josianne Dias Gusmão, as ampolas serão substituídas por outras que ficaram reservadas para casos de imprevistos e emergências.

— A reserva técnica de 5% do quantitativo total enviado pelo Ministério da Saúde é feita justamente para casos de perda. De forma planejada, foi mantido na Central Estadual da Rede de Frio, em Belo Horizonte, um contingente técnico de reserva, que atualmente conta com 3.120 doses.

Investigação

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, cinco servidores da cidade de Igarapé serão ouvidos pela polícia até esta sexta-feira (19). Procurada, a prefeitura informou que também é do interesse dela a "elucidação" sobre o que ocorreu com as vacinas.

Segundo o secretário de Saúde da cidade, os imunizantes chegaram a uma temperatura de aproximadamente 36º C, enquanto o recomendado é entre 2º C e 8º C. Técnicos da prefeitura explicaram que o termostato do refrigerador parou de funcionar e causou o aquecimento. As causas da falha ainda serão investigadas. Um laudo da Polícia Civil deve ficar pronto em 30 dias.

Últimas