Homem que sacou PIS com carteira falsa pode pegar 12 anos de prisão

Suspeito confessou que comprou documento falso no centro de BH; atendente desconfiou da identidade e contactou  com verdadeiro dono 

Homem foi preso dentro da agência

Homem foi preso dentro da agência

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O MPF (Ministério Público Federal) denunciou um homem por estelionato e uso de documento público falso contra a Caixa Econômica Federal. Em março deste ano, ele foi a uma agência do banco com a carteira de identidade de outra pessoa e sacou R$ 1.045 do PIS. 

A Justiça Federal já acatou a denúncia do MPF. Caso condenado, o acusado pode pegar a pena de até 12 anos e 8 meses de prisão

No momento do golpe, o responsável pelo atendimento notou uma alteração na coloração do documento de identidade e desconfiou da situação. Uma consulta no banco de dados da Caixa deu conta de que a vítima do golpe era correntista do banco e foi contactado pelo gerente por telefone. O homem, chamado João, negou que tivesse feito um saque do PIS naquele momento. 

O gerente chamou a polícia, que conseguiu prender o suspeito ainda dentro da agência. Ao ser abordado, ele apresentou novamente o documento e disse que era João, mas confessou a verdadeira identidade ao ser confrontado com o gerente. 

Documento falso

À polícia, o suspeito disse que comprou o documento falso no centro de Belo Horizonte por R$ 150. Uma perícia feita pela Polícia Federal atestou a falsificação. 

Para o MPF, o crime cometido pelo homem é agravado diante da situação de calamidade pública causada pela pandemia de covid-19. Por isso, ele foi indiciado por estelionato majorado, como prevê o artigo 61 do Código Penal.