Coronavírus

Minas Gerais Hospital da Baleia em BH volta a ter 100% dos CTIs para covid ocupados

Hospital da Baleia em BH volta a ter 100% dos CTIs para covid ocupados

A última vez que a unidade atingiu a capacidade máxima para casos de coronavírus foi em julho, em meio ao pico da pandemia

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Hospital filantrópico fica na região Leste

Hospital filantrópico fica na região Leste

Reprodução/Google Maps

O Hospital da Baleia, no bairro Saudade, na região Leste de Belo Horizonte, atingiu 100% de ocupação nos CTIs (Centros de Tratamento Intensivo) dedicados a pacientes com covid-19, nesta terça-feira (29). Nos leitos de enfermaria, para tratamentos mais leves, a ocupação está acima de 85%.

De acordo com a direção da instituição filantrópica que atende 95% dos doentes pelo SUS (Sistema Único de Saúde), a última vez que houve lotação máxima na unidade foi no mês de julho, quando Minas Gerais passava pelo pico da pandemia.

A médica Carolina Mourão, da superintendência técnica do Hospital, explica que a unidade tem condições de abrir mais 10 CTIs para covid-19, mas a direção encontra dificuldades para contratar especialistas.

— Estamos com dificuldade para contratar funcionários da linha de frente, pessoas capacidades para atender neste tipo de leito. Vários outros hospitais, e até o Baleia, abriram leitos durante a pandemia. Com isso, o profissional de saúde ficou escasso no mercado.

Segundo Carolina, mesmo nos centros de terapia para pacientes sem covid-19 o nível de ocupação está alto, o que impede o hospital de dedicar estes leitos para os pacientes com covid-19. Atualmente, oito dos 10 CTIs para casos gerais estão ocupados.

— O Hospital da Baleia é referência em oncologia, pediatria e dialítico. São doenças cujos pacientes continuam precisando de atendimento. Tudo que poderia ser feito para diminuir os atendimentos eleitos foi feito, mas agora não há mais saída. Somente a abertura de mais leitos.

Alerta

Dados da Prefeitura de Belo Horizonte desta segunda-feira (28) indicam que o nível de ocupação dos centros de terapia intensiva na cidade está em alerta vermelho, com 80,3% dos leitos ocupados. Nas enfermarias, o alerta é amarela, com 61,2% de ocupação.

A médica Carolina Mourão pede ajuda da população e envia um alerta.

— É uma situação muito crítica. A população precisa ser consciente e ficar em casa. Não é só no Baleia. Tanto a rede pública, quanto a privada estão cheias.

Últimas