Novo Coronavírus

Minas Gerais Hospital de BH referência em covid fecha 10 UTIs em meio alta de casos

Hospital de BH referência em covid fecha 10 UTIs em meio alta de casos

Administração do Hospital Eduardo de Menezes alega falta de equipe; agora, a unidade está sem vaga para tratamentos graves

Hospital é exclusivo para tratamento de covid-19

Hospital é exclusivo para tratamento de covid-19

Reprodução / Google - Street View

O Hospital Eduardo de Menezes, uma das referências públicas para tratamento de covid-19 em Minas Gerais, fechou 10 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), nesta sexta-feira (1º).

De acordo com a administração da unidade que fica na região do Barreiro, em Belo Horizonte, a medida foi causada pela falta de equipe, “mediante a alta rotatividade de profissionais médicos e pedidos de rescisões de contratos”.

A Fhemig (Fundação Hospitalar de Minas Gerais), responsável pelo Eduardo de Menezes, informou à reportagem que já realizou 14 chamamentos públicos para novas contratações, mas ainda não conseguiu preencher todas as vagas.

A instituição pretende fazer um novo chamamento na próxima semana para reabrir os leitos. Segundo a direção, ao menos cinco médicos em regime de 24 horas precisam ser contratados.

Neuza Freitas, diretora do Sind-Saúde (Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais), avalia que a falta de mão de obra não se limita à categoria médica. Segundo ela, a alta demanda e o afastamento durante a pandemia também reduziu a disponibilidade de outros profissionais como os da enfermagem.

— Para nós é uma situação muito grave, à partir do momento que estamos vendo as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) superlotadas e estamos vendo uma segunda onda da pandemia.

O último balanço da Prefeitura de Belo Horizonte, divulgado na quinta-feira (31), indica que o município tinha na data 76,5% das UTIs e 66,7% das enfermarias ocupadas, considerando os hospitais públicos e particulares.

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) avisou que vai voltar a fechar a cidade caso os números da pandemia não sejam controlados até a próxima semana.

Estrutura

Com o bloqueio das vagas, 100% dos leitos de UTI do hospital ficaram ocupados. Desde o início da pandemia, a unidade de saúde é dedicada a pacientes com covid-19.

O Eduardo de Menezes tem, atualmente, 20 UTIs e 52 leitos de enfermaria. As unidades para terapias simples têm ocupação de 62%. O hospital conta com 30 médicos, 176 técnicos de enfermagem e 20 enfermeiros.

Em nota, a Fhemig garantiu que “não houve desassistência aos pacientes durante o processo de bloqueio dos leitos”. Um comunicado interno do hospital indica que as vagas foram desativadas a medida em que os doentes deixavam a unidade.

“A Fhemig não vem medindo esforços para completar as equipes atuantes na linha de frente do enfrentamento da covid-19. Plantões estratégicos são frequentemente ofertados aos profissionais médicos, além dos chamamentos públicos emergenciais, cujas contratações são dificultadas pelo cenário e pela alta demanda de profissionais no mercado”, destacou o Governo de Minas em nota.

Últimas