Novo Coronavírus

Minas Gerais Hospital de campanha em BH será desmontado sem ter sido usado

Hospital de campanha em BH será desmontado sem ter sido usado

Governo de MG diz que não houve demanda de atendimentos na estrutura que custou R$ 5 milhões; equipamentos vão ser enviados a outras unidades

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Construção da estrutura custou R$ 5 milhões

Construção da estrutura custou R$ 5 milhões

Divulgação / Governo de Minas / Gil Leonardi

O Governo de Minas Gerais vai começar a desmontar, nesta semana, o hospital de campanha instalado em Belo Horizonte para atender demandas da pandemia de covid-19. A estrutura, que custou R$ 5,3 milhões, nunca foi usada.

O anúncio foi feito pelo secretário-geral de Estado, Mateus Simões, durante um evento do governo, nesta quinta-feira (10).

Simões afirmou não há falta de leitos no Estado e que a ocupação na região metropolitana está estável, o que favoreceu a decisão que era analisada desde o mês passado. Segundo o secretário, os aparelhos que estavam no hospital serão reaproveitados.

— Lembrando que todas as camas e equipamentos vão ser absorvidos pelos serviços de saúde e de atendimento a idosos no Estado. Então não haverá perda de nada do que está ali.

Sem pacientes

O hospital de campanha está pronto desde o mês de abril. Ele foi construído com apoio da iniciativa privada, que arcou com aproximadamente R$ 4,7 milhões dos custos do projeto. Os outros R$ 800 mil foram pagos pelo Governo Estadual.

No mês de julho, a Governo Zema abriu a estrutura liberando 30% dos leitos previstos. O hospital foi preparado para ter 740 leitos de enfermaria e 28 de média complexidade.

No entanto, passados dois meses, a unidade não recebeu nenhum paciente. Isso, porque, segundo o governo, o centro foi montado para receber pacientes que ficassem sem atendimento nos hospitais da rede pública, o que não teria ocorrido.

Em agosto, a Secretaria de Saúde realocou para outras unidades de saúde os profissionais que iriam atuar no hospital de campanha.

Últimas