Queda de barragem em minas

Minas Gerais Investidores estrangeiros da Vale vão receber R$ 124 mi por desastre

Investidores estrangeiros da Vale vão receber R$ 124 mi por desastre

Valor foi fechado em um acordo da empresa nos EUA e é referente à ação movida pelo grupo após o rompimento da barragem de Mariana (MG)

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7, com Reuters

Tragédia de Mariana (MG) deixou 19 mortos

Tragédia de Mariana (MG) deixou 19 mortos

Antônio Cruz/ Agência Brasil

A mineradora Vale informou, nesta quarta-feira (10), que teve aprovação final para o acordo com acionistas estrangeiros em uma ação referente ao rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, a 110 km de Belo Horizonte, em novembro de 2015. O grupo, que acusou a empresa de omitir informações, deve receber US$ 25 milhões (aproximadamente R$ 124 milhões na cotação de hoje).

Os acionistas moveram o processo contra a mineradora nos Estados Unidos. Segundo a Vale, o acordo foi aprovado pelo Distrito Sul de Nova York. A mineradora foi relacionada ao caso porque é uma das controladoras da Samarco, empresa dona da barragem que ruiu, matando 19 pessoas e deixando centenas de famílias desabrigadas.

A companhia havia anunciado em fevereiro um pré-acordo com os acionistas estrangeiros, que acusaram a empresa de omitir ou ocultar informações sobre suas políticas de riscos e procedimentos de segurança, o que segundo eles, teria levado a prejuízos com o desastre da Samarco.

O rompimento da barragem de Fundão, da Samarco também afetou fortemente o Rio Doce, em incidente que foi apontado na época como o maior desastre ambiental da história do Brasil.

"Em breve, o Tribunal proferirá sentença e ordenará o encerramento do caso, que não poderá ser objeto de recursos e, portanto, é final e vinculativo para os membros de classe que aderiram ao acordo nesta ação coletiva", disse a Vale no comunicado.

Após o caso da Samarco, a Vale se envolveu com outra tragédia minerária. No dia 25 de janeiro de 2019, outra barragem da empresa, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, se ruiu, provocando a morte e o desaparecimento de 270 pessoas. Onze vítimas ainda não foram encontradas.

Últimas