Minas Gerais Juiz libera ida de agressor de Bolsonaro para hospital em MG

Juiz libera ida de agressor de Bolsonaro para hospital em MG

Adélio Bispo deve ser levado para Barbacena, a 170 km de Belo Horizonte; esfaqueador está preso em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul

Agência Estado - Política
Adélio está detido em Campo Grande (MS)

Adélio está detido em Campo Grande (MS)

Ricardo Moraes/ Reuters - 08.09.2018

O juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora (MG), autorizou a ida de Adélio Bispo de Oliveira para o Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz, em Barbacena (MG). A decisão atende pedido do juiz Dalton Igor Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande (MS), que permitiu a saída do esfaqueador de Bolsonaro de presídio de segurança máxima na capital de Mato Grosso do Sul para uma unidade a ser definida pela Justiça mineira.

Com cerca de 140 mil habitantes, Barbacena fica na Serra da Mantiqueira, a 170 quilômetros da capital Belo Horizonte. Savino foi o magistrado responsável por absolver Adélio após laudo psiquiátrico apontá-lo como inimputável, ou seja, incapaz de responder pelos atos que praticou.

Em sua decisão, o magistrado pontuou que ainda tem "convicção" em relação "ao perigo a que estará exposto" Adélio na nova unidade e destacou que há "possível persistência do intento em se consumar o ato delitivo, atentado contra a vida do Presidente da República".

"Apesar das considerações preliminares deste juízo, não há como se opor ao requerimento da defesa para que o cumprimento da medida de segurança ocorra em hospital psiquiátrico de custódia", apontou o juiz.

A transferência foi solicitada pela Defensoria Pública e teve aprovação do Ministério Público Federal.

As duas instituições alegam que o presídio federal de Campo Grande não dispõe de "instalações adequadas" para garantir o tratamento psiquiátrico adequado para Adélio, afirmando que sua permanência na prisão poderia agravar seu quadro de saúde.

A autorização foi dada inicialmente pelo juiz Dalton Igor Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande, que permitiu a ida de Adélio para uma unidade a ser escolhida pela Justiça mineira em até 30 dias.

Segundo Savino, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais foi notificada da transferência e informou que o Estado dispõe de vagas no hospital psiquiátrico de Barbacena.

"A possibilidade de transferência da Prisão Federal de Campo Grande diretamente para o Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz foi comunicada pela Defensoria Pública da União ao executado, que declarou, por escrito, estar de acordo", anotou Savino.

Últimas