Minas Gerais Justiça alemã marca para 2022 nova audiência sobre Brumadinho (MG)

Justiça alemã marca para 2022 nova audiência sobre Brumadinho (MG)

Juízas marcaram novo prazo para analisar ação contra empresa do país europeu que atestou a segurança da barragem da Vale

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Manifestantes fizeram ato em frente à corte

Manifestantes fizeram ato em frente à corte

Divulgação / Prefeitura de Brumadinho / Décio Jr

A Justiça alemã marcou para o dia 1º de fevereiro de 2022 uma nova audiência da ação contra a empresa Tüv Süd, responsável por atestar a segurança da barragem da Vale que se rompeu em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, mesmo com a certificação da companhia do país europeu.

A decisão aconteceu nesta terça-feira (28), durante a primeira audiência sobre o caso. As três juízas que participaram da reunião ouviram os representantes dos atingidos pela tragédia e da empresa alemã. Após cerca de três horas de sessão, as magistradas deteminaram o prazo de cinco meses para analisar os documentos recebidos.

O processo foi movido por vítimas da tragédia que matou 270 pessoas em 2019 e pela Prefeitura de Brumadinho. O grupo quer que a companhia também seja responsabilizada pelo estouro do reservatório de rejeitos.

Inicialmente, a ação não fixa um valor de indenização. Primeiro, os atingidos precisam que a justiça alemã reconheça a Tüv Süd como culpada. A expectativa da acusação é que isto aconteça no encontro do próximo ano, conforme explica o advogado Pedro Martins, que acompanhou a audiência realizada hoje em Munique.

— Agora elas [as juízas] vão se debruçar sobre outros documentos e sobre o que foi dito na audiência de hoje pelas partes. Estou confiante que no início do ano elas tomarão uma decisão, parcial ou definitiva.

Alvimar de Melo Barcelos, prefeito de Brumadinho, também acompanhou a reunião na Alemanha.

— Queríamos ter saído daqui com uma decisão, com justiça feita. Mas o que vimos hoje nos deixou ainda mais confiantes. Espero que as juízas possam analisar com cautela tudo o que foi dito aqui.

A reportagem procurou a Tüv Süd para comentar sobre o processo e aguarda retorno.

Últimas