Coronavírus

Minas Gerais Justiça barra Carnaval clandestino que aconteceria nos ônibus de BH

Justiça barra Carnaval clandestino que aconteceria nos ônibus de BH

Grupo de moradores marcou a festa "itinerante" sem autorização das empresas de transporte e da prefeitura da capital mineira

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Festa aconteceria em ônibus e no metrô

Festa aconteceria em ônibus e no metrô

Divulgação/ PBH

O TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) proibiu a realizou de uma festa de carnaval clandestina, marcada para acontecer na manhã desta terça-feira (16), em ônibus e no metrô de Belo Horizonte.

O evento ilegal, batizado de “Carnaval Itinerante”, foi marcado por moradores por meio de redes sociais. Eles não tinham autorização nem da prefeitura e nem das empresas de transporte para realizar a festa.

O pedido de proibição foi feito pela AGE (Advocacia-Geral do Estado) após a celebração ser descoberta pelas equipes de inteligência da PM (Polícia Militar). O despacho do juiz barrando a festa foi divulgado durante a madrugada desta terça-feira.

Leia também: Prefeitura de BH cancela ponto facultativo no Carnaval deste ano

“O evento clandestino já é um claro desrespeito aos decretos do Estado e Prefeitura de BH que proíbem a aglomeração de pessoas em razão dos riscos causados pelo coronavírus, mas se torna ainda mais agressivo à saúde pública quando programado para ocorrer nas dependências do transporte público, como no interior e estações de ônibus e metrô”, destacou a AGE.

Segundo a PM (Polícia Militar), não houve registro de realização da festa até o final da manhã desta terça-feira. Em caso de descumprimento da determinação, os envolvidos no evento estão sujeitos a uma multa de R$ 50 mil.

Carnaval em BH

Após levar mais de 4,5 milhões de pessoas à folia de 2020, Belo Horizonte suspendeu o Carnaval 2021 na data tradicional para conter o avanço da covid-19. No fim de semana em que a festa seria realizada, os bares e restaurantes foram proibidos de receber clientes para evitar aglomerações.

Durante o fim de semana, a prefeitura interditou 21 estabelecimentos que funcionavam de forma irregular. Além disso, uma multa de R$ 18.359,66 foi aplicada a cada um deles. A Polícia Militar intensificou a fiscalização nas cidades mineiras, por ordem do governador Romeu Zema (Novo).

Últimas