Minas Gerais Justiça condena mulher por matar grávida para roubar bebê em MG

Justiça condena mulher por matar grávida para roubar bebê em MG

Acusada se passou por amiga da vítima para assassina-la no oitavo mês de gestação; crime aconteceu em João Pinheiro

  • Minas Gerais | do R7, com TV Paranaíba

Mara Cristina estava grávida de 8 meses

Mara Cristina estava grávida de 8 meses

Reprodução/ TV Paranaíba

A Justiça condenou a 30 anos e 2 meses de prisão, nesta quinta-feira (12), a mulher acusada de matar uma gestante para roubar o bebê, em João Pinheiro, a 380 km de Belo Horizonte. O crime aconteceu em abril de 2018.

A defesa de Angelina Ferreira Rodrigues reconheceu a autoria do crime, mas alegou que a condenada tem transtornos mentais, já a promotoria argumentou que a autora premeditou o crime para roubar o filho da vítima e que ela tinha consciência sobre o que fazia.

Os advogados de defesa tentaram a todo momento demonstrar que Angelina não agiu sozinha. Uma testemunha chegou a ser confrontada diretamente sobre sua eventual participação para o crime. A ré confessa não apontou a participação de nenhuma outra pessoa.

Sobre o crime 

Na época do crime, Angelina Ferreira contou que matou Mara Cristina Ribeiro da Silva, então com 23 anos, para roubar o bebê que estava no oito mês de gestação. Angelina dizia para todos que estava grávida e conquistou a confiança da vítima. No dia 15 de outubro de 2018, ela levou Mara até um matagal próximo à BR-040 com a desculpa de pegar cascas de árvores para fazer chá. A filha da Mara, de um ano, estava junto com as duas.

Ela teria matado Mara, tirado o bebê da barriga e logo depois deu entrada no Hospital Municipal de João Pinheiro dizendo que o filho era dela. Como ela não apresentava sinais de que teria dado à luz, a equipe médica desconfiou e acionou a Polícia Militar.

Relembre o caso:

Últimas