tragédia brumadinho
Minas Gerais Justiça dá 72 horas para mineradora retirar famílias em Brumadinho

Justiça dá 72 horas para mineradora retirar famílias em Brumadinho

Barragem da Emicon estaria em situação de abandono há cerca de uma década e descaso causa apreensão; nove famílias vivem próximo ao local

Há seis meses, rompimento de barragem da Vale deixou 270 vítimas

Há seis meses, rompimento de barragem da Vale deixou 270 vítimas

Márcio Neves / R7

A Justiça em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deu prazo de 72 horas para que a mineradora Emicon retire nove famílias que vivem em uma zona rural próxima à barragem B1, que estaria abandonada. A situação da estrutura tem provocado apreensão em moradores da região.

A barragem em questão tem 37 metros de altura e 22,4 milhões de metros cúbicos de rejeito de minério de ferro armazenado. Segundo classificação da ANM (Agência Nacional de Mineração), a barragem B1, da Emicon, tem categoria de risco médio e dano potencial alto. 

A Prefeitura de Brumadinho convocou, mais cedo, uma reunião para tratar da situação desta estrutura, que não vem sendo monitorada adequadamente. Compareceram representantes da empresa, do Ministério Público de Minas Gerais, da ANM, da Copasa (Companhia de Abastecimento e Saneamento de Minas Gerais), das Polícias Civil e Militar e da Defesa Civil. 

A Justiça obrigou a mineradora a garantir moradia, alimentação e assistência médica às famílias que serão desalojadas. A Emicon também deve apresentar um plano de ação emergencial para evacuação das famílias, além de laudos técnicos que demonstrem a estabilidade da barragem. 

O plano de ação deve ser enviado até esta terça-feira (13). Já os demais documentos, devem ser entregues à Defesa Civil até o fim do mês. 

A Prefeitura de Brumadinho descartou que um eventual rompimento da estrutura possa atingir a área urbana da cidade.