tragédia brumadinho
Minas Gerais Justiça ouve 7 testemunhas sobre danos ambientais em Brumadinho

Justiça ouve 7 testemunhas sobre danos ambientais em Brumadinho

Ao todo, 23 pessoas já prestaram depoimento em processo da Vale; dessa vez, assunto foi a extensão dos impactos causados ao meio ambiente

Ao todo, 23 testemunhas já foram ouvidas em processo da Vale

Ao todo, 23 testemunhas já foram ouvidas em processo da Vale

Divulgação/TJMG/Marcelo Almeida

A Justiça de Minas ouviu nesta terça-feira (6) sete representantes de órgãos públicos da área do meio ambiente no processo que apura responsabilidades e consequências do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho. As testemunhas foram indicadas pelo Ministério Público de Minas Gerais e pela Defensoria Pública. 

O objetivo da audiência foi comprovar os danos ambientais, ao meio ambiente natural e construído, fauna e patrimônio histório e cultural a partir do colapso na estrutura. De acordo com a promotora de Justiça do MP, Andressa Lanchotti, as testemunhas "foram contundentes ao falar sobre a extensão dos danos".   

A promotora recordou impactos ambientais, como a suspensão da captação de água no Rio Paraopeba, a contaminação do leito do rio, danos à flora, mortandade de peixes , dentre outros. 

Essa foi a terceira audiência para ouvir testemunhas no processo da Vale no Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Ao todo, 23 pessoas prestaram depoimentos. Outras duas sessões estão marcadas para os dias 20 de agosto e 26 de setembro. 

Leia mais: Indenização de R$ 400 milhões pode minimizar impacto em Brumadinho

A Vale foi condenada pelo juiz Elton Pupo Nogueira, da 6ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte a pagar por todos os danos causados com a tragédia que deixou 270 vítimas.