Minas Gerais Justiça penhora 30% do salário de Kalil para quitar dívida trabalhista

Justiça penhora 30% do salário de Kalil para quitar dívida trabalhista

Juíza determinou que o dinheiro deve ser usado para pagar R$ 213 mil a um ex-funcionário da construtora do prefeito de Belo Horizonte

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Ex-funcionário reclamou de salários não pagos

Ex-funcionário reclamou de salários não pagos

Amira Hissa/PBH

A Justiça do Trabalhou determinou a penhora de 30% do salário do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), para quitar dívida da construtura do chefe do Executivo municipal com um ex-funcionário.

Na decisão, do dia 12 de novembro, a juíza Laudenicy Moreira de Abreu mandou a Secretaria de Planejamento do Município descontar o percentual mensalmente até que se chegue à quantia de R$ 213.550,22. O valor é para pagar parte dos R$ 255 mil que o ex-funcionário da Erkal Engenharia deixou de receber de salários entre março e setembro de 2016 e da recisão trabalhista.

A decisão é em primeira instância e cabe recurso. Procurado, advogado do prefeito Alexandre Kalil, Matheus Menezes Rocha, informou que vai recorrer da decisão, já que há bens penhorados como garantia do pagamento da dívida. O salário bruto do prefeito da capital é de R$31.061,47.

O despacho da juíza destaca a incapacidade financeira da construtora em quitar a dívida. A magistrada ainda aponta não foram indicados bens de Kalil e dos outros sócios que pudessem ser bloqueados para cobrir os pagamentos.

“Com efeito, o crédito do reclamante foi reconhecido em sentença transitada emjulgado, não cumprida espontaneamente pelos devedores, sequer de modo forçado”, citou a magistrada.

A Erkal Engenharia chegou a ter falência decretada judicialmente em 2016, mas o CNJP (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) segue ativo junto à Receita Federal.

Kalil foi eleito como prefeito de Belo Horizonte em 2016, ao disputar um cargo político pela primeira vez. O empresário foi reeleito este ano, com 63% dos votos. 

Últimas