Minas Gerais Justiça proíbe mineradora de usar caminhões pesados no Rola Moça

Justiça proíbe mineradora de usar caminhões pesados no Rola Moça

Decisão atende alerta do Ministério Público sobre impacto na conservação ambiental e risco para os turistas no parque estadual

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Órgãos questionam presença dos caminhões

Órgãos questionam presença dos caminhões

Divulgação / Rola Moça Resis

A Justiça Federal proibiu a mineradora MGB (Mineração Geral do Brasil) de usar caminhões pesados nas estradas do Parque Estadual do Rola Moça, na Grande BH, para escoar o material retirado da Mina Casa Branca, em Brumadinho, na região metropolitana.

A decisão do juiz William Ken Aoki e atende a uma recomendação feita pelos Ministérios Público Federal e de Minas Gerais, na última semana.

No pedido o procurador Patrick Salgado e promotor Felipe Faria de Oliveira destacaram que o tráfego dos veículos no local pode afetar a conservação ambiental do espaço. Eles ainda observaram que o Plano de Manejo do Parque Estadual indica que a passagem de caminhões nas estradas sinuosas "gera o levantamento de muita poeira e aumenta o risco de acidentes, atropelamento de fauna e de visitantes do parque".

Na última semana, moradores da região e ambientalistas fizeram protestos contra a passagem dos veículos no local e contra a atuação da MGB na mina Casa Branca, localizada na região do parque do Rola Moça.

A empresa conseguiu na Justiça Federal uma liminar para atuar no local, alegando necessidade de fazer obras de intervenção para evitar o rompimento da barragem que estava em nível de alerta. Agora, a mineradora segue com o processo de descaracterização da estrutura, ou seja, o desmonte do reservatório.

No último dia 20 de abril, o MPF recorreu à Justiça para suspender a operação da mineradora na Mina Casa Branca. Segundo os procuradores, o serviço emergencial já foi concluído e, assim, a empresa poderia aguardar o Governo Estadual analisar se vai licenciar ou não a empresa. A solicitação ainda não teve retorno.

Procurada, a MGB informou que está utlizando "caminhões de uso urbano, com a adoção de todas as medidas de segurança de tráfego, com controle de velocidade, e de conservação da via" e defendeu que eventual restrição a caminhões similares ao usado pela companhia pode afetar o abastecimento de suprimentos entre Casa Branca, em Brumadinho, e o Jardim Canadá, em Nova Lima.

"A remoção do rejeito está sendo realizada com a utilização de caminhões totalmente adequados para circulação urbana. Os veículos são 100% lonados e conduzidos por motoristas profissionais, treinados e cadastrados", completou a companhia que ainda destacou que não está realizando processo de mineração na barragem.

Últimas