Justiça suspende aulas presenciais em Coronel Fabriciano (MG)

Prefeitura acatou a determinação antes de ser notificada e atividades já foram canceladas nesta terça-feira (26); cidade teria rodízio de aulas para alunos

Alunos tiveram aulas nesta segunda-feira (25)

Alunos tiveram aulas nesta segunda-feira (25)

Divulgação / PMCF

A Justiça de Minas Gerais suspendeu o retorno das aulas presenciais de escolas públicas municipais de Coronel Fabriciano, a 200 km de Belo Horizonte. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (25), primeiro dia da volta das crianças às salas.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Coronel Fabriciano informou que suspendeu as atividades nas escolas na manhã desta terça-feira (26), mesmo antes de ser notificada sobre a decisão judicial.

A liminar do juiz Mauro Lúcio da Silva, da Vara de Fazenda Pública da cidade, atendeu a uma denúncia feita pela deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT). No pedido, a parlamentar defendeu que a volta das atividades presenciais colocaria a população em risco devido a uma possível aglomeração durante a pandemia de covid-19.

Ao aceitar o pedido, o juiz alegou que, neste momento, é fundamental proteger a saúde de alunos, professores e de toda população. A administração municipal informou à reportagem que ainda avalia se vai recorrer da decisão.

Volta às aulas

Ao anunciar a reabertura das escolas de Coronel Fabriciano, o prefeito Marcos Vinícius da Silva explicou que a medida seria possível devido aos “baixos” índices de proliferação do coronavírus na cidade. Até esta segunda-feira, o município registrava 34 dos 6.962 casos de covid-19 do Estado.

As aulas aconteceriam em um esquema de rodízio, atendendo alunos a partir de 11 anos. As atividades seriam oferecidas às segundas, quartas e sextas-feiras para um grupo e nas terças e quintas para outro; atingindo somente 20% da comunidade escolar.

Leia também: MG terá força-tarefa para superar defasagem de teleaulas

O esquema planejado para a cidade é diferente do adotado pelo Governo de Minas. Desde o início do mês, os alunos da rede estadual estão acompanhando teleaulas pela TV estatal e recebendo apostilas com matérias para aprender os conteúdos em casa.