Novo Coronavírus

Minas Gerais Kalil manda fechar BH novamente: "Voltamos à estaca zero"

Kalil manda fechar BH novamente: "Voltamos à estaca zero"

Apenas serviços essenciais poderão funcionar a partir das 14h, deste sábado (6); medida visa conter avanço da pandemia

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Kalil fez anúncio durante coletiva nesta sexta-feira

Kalil fez anúncio durante coletiva nesta sexta-feira

Divulgação / Coligação Coragem e Trabalho

Os comércios e serviços considerados não essenciais estão proibidos de funcionar em Belo Horizonte a partir das 14 horas deste sábado (6).

A decisão foi anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), no fim da tarde desta sexta-feira (4), na tentativa de conter o que ele chamou de "números absolutamente assustadores" da pandemia de covid-19.

— Nós vamos trancar a cidade novamente porque há uma conversa de que dois terços das infecções de Belo Horizonte são de novas cepas. Não sabemos exatamente, há contradição entre os próprios médicos ainda, mas vamos fechar.

Kalil e os médicos do comitê de enfrentamento à pandemia destacaram que o perfil dos infectados tem apresentado mudança na cidade, o que pode ser justificado pela circulação de novas variantes. Ao menos três já foram identificadas na capital mineira. São elas: P1, de Manaus; P2, do Rio de Janeiro; e a B.1.1.7, do Reino Unido.

O secretário de Saúde, Jackson Machado, ressaltou que atualmente Belo Horizonte tem quatro crianças internadas com suspeita de covid-19. Outras quatro estão aguardando apenas a preparação dos leitos para também serem internadas.

— Este cenário nunca aconteceu na cidade. O perfil mudou.

Números

O prefeito Alexandre Kalil também explicou que o aumento nos índices que monitoram a pandemia na cidade contribuiram para a decisão de fechamento. No início da semana a equipe dele chegou a dizer que o comércio ficaria aberto, mas decidiu recuar diante à comparação dos dados registrados entre esta quinta-feira (4) e sexta-feira (5).

— Como não fechamos a cidade no início da semana e os números caíram 1%, eu fui tomado por um otimismo enganoso e perigoso.

Veja a variação dos indicadores entre ontem e hoje:

- RT (ritmo de transmissão): de 1,18 para 1,16 (alerta amarelo)
- Ocupação das UTIs covid-19: de 74,4% para 81% (alerta vermelho)
- Ocupação das enfermarias covid-19: de 60,8% para 61,9% (alerta amarelo)

O que pode abrir

O secretário de Planejamento e Gestão, André Reis, explicou que as restrições serão as mesmas adotadas no primeiro fechamento da cidade, em março de 2020. De lá para cá, BH a flexibilização de BH passou por idas e vindas. Em janeiro de 2021 o comércio foi suspenso também, mas os parques verdes continuaram abertos, mas isto não vai acontecer desta vez.

— Vai funcionar apenas o essencial. Supermercados, padarias, farmáricas, açougues, mercearias, itens de alimentação, manutenção de carro e casa e óticas são alguns dos exemplos.

O secretário Municipal de Segurança e Prevenção de Belo Horizonte, Genilson Ribeiro Zeferino, alertou que a ordem da prefeitura é endurecer a fiscalização.

— As pessoas que forem pegas podem, inclusive, ser conduzidas pela polícia. É uma fiscalização com o rigor que exige.

Últimas