Coronavírus

Minas Gerais Kalil solta decreto que barra escolas em BH e libera cursos da saúde

Kalil solta decreto que barra escolas em BH e libera cursos da saúde

Além das atividades práticas e laboratoriais das graduações na área da saúde, prefeitura só autorizou aulas presenciais para cursos profissionalizantes

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Decisão de Kalil foi em resposta a medidas do governo

Decisão de Kalil foi em resposta a medidas do governo

Amira Hissa/PBH

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), divulgou, nesta quinta-feira (24), o decreto que suspende os alvarás de funcionamento das escolas e praticamente todas as faculdades da cidade.

As únicas exceções do texto são as atividades práticas e laboratoriais das graduações na área da saúde e os cursos técnicos profissionalizantes.

O anúncio das medidas foi feito logo após o Governo Estadual autorizar a retomada das aulas presenciais a partir do dia 5 de outubro. Segundo o secretário-geral do Governo de Minas, Mateus Simões, a decisão final vai ficar por conta de cada município.

Caso as prefeituras liberem a volta das aulas, Simões, explicou, ainda, que na rede estadual, os pais poderão decidir se vão mandar os filhos ou não para a escola. O Estado se comprometeu a manter as atividades remotas para as famílias que não se sentirem seguras com as atividades presenciais.

Leia mais: "Perplexidade", diz sindicato sobre anúncio de volta às aulas

No decreto publicado no Diário Oficial do Município nesta manhã, o prefeito Alexandre Kalil alegou que ainda não há segurança sanitária para liberar a volta das aulas presenciais.

O texto defende que o ambiente escolar é "composto, em sua maioria, por crianças e jovens, que pela característica imunológica, ao contraírem a covid-19, tendem a não manifestar sintomas ou manifestar sintomas leves, mas que continuam como vetores de transmissão, podendo acelerar a circulação da pandemia".

Aulas em Minas

As aulas presenciais em Minas Gerais estavam suspensas desde o mês de março devido à pandemia de covid-19. As decisões divulgadas pelo Governo Estadual nesta quarta-feira (23) indicam que os cursos livres e instituições de ensino superior poderão retomar as atividades a partir da onda amarela do programa Minas Consciente.

As escolas de ensino infatil, fundamental e médio só serão autorizadas a funcionar nas cidades que estiverem na onda verde e a decisão vai depender da prefeitura. Segundo a secretária de Educação, Júlia Sant'Anna, a pasta pretende que as atividades do terceiro ano do ensino médio sejam retomadas já no dia 19 de outubro para que os estudantes possam se preparar para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares.

Últimas