Novo Coronavírus

Minas Gerais Laudo confirma que detento morreu de covid-19 em presídio de Minas

Laudo confirma que detento morreu de covid-19 em presídio de Minas

Lucas Morais da Trindade, de 28 anos, estava detido no presídio de Manhumirim desde novembro de 2018 e foi encontrado morto dentro da cela

Lucas morreu de covid-19 dentro do presídio

Lucas morreu de covid-19 dentro do presídio

Arquivo pessoal

O laudo necroscópico confirmou que o detento Lucas Morais da Trindade, de 28 anos, morreu em decorrência da covid-19. Ele estava preso desde novembro de 2018 no presídio de Manhumirim, onde mais de 150 presos foram contaminados pelo novo coronavírus. 

Lucas foi encontrado caído na cela no dia 4 de julho e levado para o hospital Padre Júlio Maria, onde teve uma parada cardíaca e morreu no local. A certidão de óbito do jovem constava como causa da morte, "coronavirus", atestado por teste rápido feito na unidade de saúde. 

O detento foi preso em flagrante em novembro de 2018 depois que um adolescente disse ter comprado dele uma bucha de maconha. Os policiais militares encontraram, com Lucas, menos de 10g da droga e R$ 184. Por conta desse episódio, ele foi condenado pela Justiça a uma pena de 5 anos e 10 meses em regime fechado.  

De acordo com a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), 147 detentos do presídio de Manhumirim, que foram contaminados pelo novo coronavírus foram considerados recuperados da doença, conforme avaliação da secretaria municipal de saúde. Eles receberam alta médica nesta terça-feira (14).

Outros quatro detentos que tiveram autorização para progredir para o regime domiciliar — e que também estavam infectados — também se recuperaram da covid-19. Segundo a Sejusp, como forma de prevenção, os detentos continuam utilizando máscaras no interior das celas. 

Visitas virtuais

Segundo a Sejusp, ainda nesta terça-feira (14), tiveram início, na unidade prisional de Manhumirim, as visitas virtuais entre detentos e familiares. Essa é uma medida que vem sendo adotada em todo o Estado, já que as visitas presenciais foram suspensas em razão da pandemia. 

Últimas