Minas Gerais Léo Burguês quer reintegração de posse da Câmara para acabar com ocupação

Léo Burguês quer reintegração de posse da Câmara para acabar com ocupação

Manifestantes denunciam seguranças; um jovem teria sido agredido com soco no olho

Entrega de coxinhas para os vereadores foi impedida

Entrega de coxinhas para os vereadores foi impedida

Assembleia Popular Horizontal / Divulgação

A ocupação que dura há cinco dias na Câmara de Belo Horizonte pode parar na Justiça. Depois de confronto entre manifestantes e seguranças, na tarde desta segunda-feira (5), o vereador Leo Burguês (PSDB), presidente da Casa, afirmou que vai pedir a reintegração de posse do local.

Segundo Burguês, os seguranças barraram uma tentativa de invasão do plenário. Para ele, não houve excessos no trabalho dos seguranças. De acordo com o presidente, uma comissão será criada para abrir um canal de comunicação com os manifestantes.

Na avaliação de Léo Burguês, os vereadores não sabem o que querem os jovens que protestam no local desde a última semana.

Manifestantes chamados de “preguiçosos” por prefeito de BH respondem

Um grupo levou bandejas com coxinhas para a Câmara e pretendia entregá-las aos vereadores durante a sessão. O protesto bem humorado se refere a gastos de Léo Burguês com salgadinhos e lanches. Segundo o Portal da Transparência, o tucano tem gastos de R$ 1.500 por mês na mercearia de sua madrasta.

Como a entrada no plenário é proibida - o acesso popular é restrito às galerias -, seguranças impediram a "brincadeira". Um jovem denunciou ter tomado um soco no olho.

Últimas