Novo Coronavírus

Minas Gerais Líder quilombola em Minas morre de covid cinco dias após o marido

Líder quilombola em Minas morre de covid cinco dias após o marido

Dodora, de 84 anos, estava internada em um hospital de Contagem onde o companheiro morreu aos 88 anos com a mesma doença

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento e Célio Ribeiro*, do R7

Casal esteve junto por 65 anos

Casal esteve junto por 65 anos

DIVULGAÇÃO / PREFEITURA DE CONTAGEM / RICARDO LIMA

Morreu, nesta quarta-feira (12), Maria Auxiliadora da Luz, matriarca da Comunidade Quilombola dos Arturos, localizada em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Também conhecida como Dona Dodora, Maria tinha 84 anos e foi vítima da covid-19. A líder estava intubada no Hospital Santa Helena, mesma unidade de saúde onde morreu o marido dela, Mário Brás da Luz, de 88 anos. O patriarca dos Arturos faleceu na última quinta-feira (6), também pela covid-19.

Por uma rede social, a Comunidade dos Arturos lamentou a morte de Dona Dodora, classificada como “mulher guerreira, forte e amável”. Na publicação, o grupo afirma ter perdido “não apenas uma rainha, mas uma grande referência de fé, amor e devoção”.

Também pelas redes sociais, a Prefeitura de Contagem divulgou uma nota de pesar pela morte de Maria Auxiliadora, considerada um “membro importante da comunidade”. Questionada por internautas, a assessoria da prefeitura informou que o casal não havia sido imunizado contra a covid-19 pois estavam sintomáticos e a vacina só poderia ser aplicada passados 14 dias do fim dos sintomas.

Comunidade dos Arturos

Fundada no século 19, a Comunidade Quilombola dos Arturos é formada por cerca de 500 pessoas, todos descendentes de Arthur Camilo Silvério, um filho de escravos. O patriarca mais recente da comunidade, Mário da Luz foi casado com Dona Dodora por 65 anos. O casal teve 5 filhos, 12 netos e 12 bisnetos.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas