Local de aglomeração, praça em bairro nobre de BH é cercada 

Moradores do bairro Belvedere costumam praticar atividades físicas na praça Arquiteto Ney Werneck, mesmo com orientação de isolamento social 

Praça no  Belvedere é local de aglomeração mesmo em meio a pandemia

Praça no Belvedere é local de aglomeração mesmo em meio a pandemia

Arquivo pessoal

Um dia depois de o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), dizer que "atletas teriam surpresa" com relação à fiscalização do isolamento social, locais públicos em que moradores se reúnem para praticar atividades físicas amanheceram cercados e sob olhar de guardas municipais. 

A praça Arquiteto Ney Werneck, no Belvedere, bairro nobre da região centro-sul capital mineira, mesmo em tempos de pandemia, costumava ser local de aglomeração de pessoas que praticavam exercícios físicos no local. O bairro é um dos que mais registra casos de covid-19 na cidade. 

Neste sábado (20), a praça estava vazia. O local foi cercado e agentes da Guarda Municipal davam plantão na região. 

Nesta sexta-feira (19), questionado sobre o aumento da fiscalização na cidade, durante uma entrevista coletiva, Kalil afirmou que os "atletas" teriam uma surpresa na manhã de hoje.

— Neste fim de semana, os atletas, os que acham que não vão ficar doentes e nem passar doença para seus pais, seus avós, vão ser surpreendidos em Belo Horizonte. 

Fiscalização

Pela segunda semana seguida a prefeitura não autorizou a reabertura de cerca de 7% do comércio da cidade que permanece fechado. A alta na taxa de ocupação de leitos de UTI (que chegou a superar a marca de 80% nesta semana) e de enfermaria acenderam alerta no Executivo. 

Agora, segundo Kalil, Belo Horizonte vai ganhar o reforço de policiais militares, que também farão fiscalização de aglomerações e locais aberto indevidamente. 

Covid-19

Conforme boletim epidemiológico divulgado pela secretaria municipal de saúde, BH tem 3.879 casos confirmados e 90 mortes em decorrência da covid-19.