Minas Gerais Lojas com autorização para abrir em BH devem atender clientes na porta

Lojas com autorização para abrir em BH devem atender clientes na porta

Prefeito Alexandre Kalil determinou a norma após a CDL liberar o funcionamento das lojas de chocolate; casas lotéricas devem controlar filas 

  • Minas Gerais | Marina Avelar*, Do R7

Filas deverão respeitar a distância mínima

Filas deverão respeitar a distância mínima

Reprodução/ Record Tv Minas

Os comerciantes que têm autorização para funcionar em Belo Horizonte durante a pandemia de covid-19 só podem atender os clientes na porta. A decisão do prefeito, Alexandre Kalil (PSD), foi divulgada no Diário Oficial do Município, nesta terça-feira (7).

A medida não se aplica a casas lotéricas, agências bancárias, supermercados, hipermercados, padarias, farmácias, sacolões, mercearias, hortifrútis, armazéns, açougues e postos de combustível. Estes estabelecimentos, contudo, devem adotar as orientações de contenção do coronavírus.

No caso das lotericas e bancos, deve haver um limite de pessoas dentros das lojas e um controle das filas externas, respeitando o distânciamento mínimo de um metro entre as pessoas.  

Leia mais: Mineirão não vai mais receber hospital de campanha, diz Kalil

O prefeito Alexandre Kalil atualizou o decreto após a CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) liberar o funcionamento das lojas de vendas e produção de chocolate, por causa da Páscoa.

"Já assinei o decreto. As lojas de Belo Horizonte, inclusive as de chocolates, só poderão atender da porta pra fora, sem clientes do lado de dentro", escreveu o chefe do Executivo municipal. 

Apesar da mudança da CDL em relação às lojas de chocolate, os funcionários de comércios de outros segmentos, como roupas e adereços, continuam impossibilitados de trabalhar devido a um acordo com o sindicato da categoria.

As medidas de isolamento serão aplicadas enquanto durar a situação de emergência em saúde pública por causa da covid-19.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas