Maior hospital de MG não tem kit para tratamento de síndrome

Documento indica que Hospital João 23 não tem o material para cuidar dos pacientes com doença possivelmente provocada por intoxicação com cerveja

Hospital é o maior do Estado

Hospital é o maior do Estado

Reprodução / RecordTV Minas

O Hospital João 23, a maior unidade de saúde de Minas Gerais, está sem o material necessário para as dosagens do medicamento indicado para o tratamento da síndrome nefroneural, doença que tem acometido pessoas possivelmente intoxicadas por cerveja no Estado.

As informações constam em um documento interno do hospital ao qual o R7 teve acesso.

A nota explica que está previsto o recebimento de 90 testes nesta quarta-feira (15), mas a quantidade necessária seria de 270. Assim, é solicitada uma autorização para a liberação do material por parte de uma empresa que tem contrato com a Fhemig (Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais), responsável pelo hospital.

Resposta

Em nota enviada à reportagem, a Fhemig garante que "já foram providenciados e já estão disponíveis" no Hospital João 23 os kits de etanol. "Ou seja, a unidade já realizou a compra e está preparada para realizar o devido tratamento de pessoas que eventualmente sejam internadas no hospital com sintomas da referida intoxicação", diz a Fundação, em nota. 

O documento ao qual o R7 teve acesso mostra que o pedido de compra foi feito nesta quarta-feira (15).

A Fhemig afirma, ainda que, até o momento, não houve entrada de paciente com a intoxicação nas unidades assistenciais da Fundação e que não está fornecendo kits para a rede privada.