Novo Coronavírus

Minas Gerais Mais 13 mil comércios e MEIs podem abrir em BH a partir desta segunda

Mais 13 mil comércios e MEIs podem abrir em BH a partir desta segunda

De acordo com a prefeitura da capital, 92% dos trabalhadores da capital mineira estarão de volta ao batente nesta semana; BH monitora indicadores

Segundo a prefeitura, 92% da população está de volta ao trabalho

Segundo a prefeitura, 92% da população está de volta ao trabalho

Reprodução/RecordTV Minas

Mais 5 mil estabelecimentos e 8 mil MEIs (Micro Empreendedores Individuais) de 11 setores da economia estão autorizados a abrir as portas a partir desta segunda-feira (8) em Belo Horizonte. Com isso, somando os comércios que foram liberados para voltar a funcionar em 25 de maio, já são mais de 20 mil os empreendimentos liberados pela prefeitura da capital mineira. 

Lojas de sapato, bebidas e outros nove segmentos vão abrir em BH

Dentre os estabelecimentos autorizados estão: lojas de objetos de arte e decoração, de instrumentos musicais, de bebidas, armas e munições, floriculturas, lojas de artigos de uso pessoal (exceto vestuário e acessórios), artigos esportivos, lubrificantes, artigos para animais, artigos usados e tabacaria. Também estão autorizados os comércios atacadistas desses segmentos. 

O levantamento da prefeitura leva em conta os comércios e também os MEIs (Micro Empreendedores Individuais) dessas atividades, que também estão autorizados a abrir. 

As novas atividades liberadas pela prefeitura vão poder funcionar das 11h às 19h. No caso dos comércios atacadistas ligados a estes setores, o horário será de 5h às 17h.

Essa é a segunda etapa da reabertura econômica em Belo Horizonte. Na última sexta-feira (5), o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, explicou que a queda na taxa de transmissão do novo coronavírus na capital permitiu a expansão da abertura do comércio.

Na última semana, o índice R0, que mede a taxa média de pessoas que cada infectado pode contaminar estava em 1,24. Agora, ele está em 1,07. Além disto, o número de pacientes internados influenciou na decisão.

— Temos 64% dos leitos de terapia intensiva ocupados. Ainda temos a previsão de ampliar o número de vagas. Com isto, a taxa de ocupação deve cair para 41%, se todos estes pecientes continuarem internados até lá. Isso nos dá uma certa tranquilidade de promover qualquer mudança na cidade.

Segunda fase

Nesta segunda etapa de abertura do comércio em Belo Horizonte, 92% da população estará de volta ao trabalho a partir desta segunda-feira (5), de acordo com Machado. Serão 824 mil trabalhadores nas ruas da capital mineira — 15 mil a mais do que tem sido registrado até agora.

Segundo o secretário Jackson Machado, só foi possível liberar essa segunda etapa do processo de flexibilização do comércio na cidade graças à redução no ritmo de infecções por covid-19 na cidade.

— Estamos monitorando esses três indicadores [R0, ocupação de leitos de UTi e de enfermaria] e mais alguns todos os dias. Se explodir o número de casos, pode ser que a gente volte atrpas e feche tudo, determine o "lockdown". Pode acontecer qualquer coisa, o monitoramento diário é que vai nos dizer.

Confira, em números, o que pode abrir nesta segunda: 

Objetos de arte e decoração: 93 estabelecimentos + 157 MEIs
Plantas e flores naturais: 239 estabelecimentos + 272 MEIs
 Artigos de uso pessoal (exceto vestuário e acessórios): 2.912 estabelecimentos + 3.973 MEIs
Artigos e equipamentos esportivos: 265 estabelecimentos + 382 MEIs
Instrumentos musicais e acessórios: 63 estabelecimentos + 56 MEIs
Bebidas: 554 estabelecimentos + 1.800 MEIs
Lubrificantes: 129 estabelecimentos + 60 MEIs
Artigos para animais: 503 estabelecimentos + 919 MEIs
Artigos usados: 88 estabelecimentos + 417MEIs
Tabacaria: 51 estabelecimentos + 101 MEIs
Armas e munições: 10 estabelecimentos 
Comércio atacadista (artigos de comércio varejista permitidos na fase 2): 416 estabelecimentos  

Últimas