Manifestantes pedem reabertura do comércio de BH no 1º dia de recuo

Prefeito Alexandre Kalil decretou um novo fechamento do serviços considerados não essenciais a partir desta segunda-feira (29)

Atos aconteceram na porta da prefeitura

Atos aconteceram na porta da prefeitura

Mayara Folco / Record TV Minas

Manifestantes se reuniram na porta da Prefeitura de Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (29), para pedir a abertura do comércio da cidade.

Hoje é o primeiro dia em que passa a vigorar o decreto que determina o novo fechamento dos serviços considerados não essenciais.

Para basear as decisões de abertura do comércio, o comitê de combate à pandemia monitora três fatores: a taxa de contágio do novo coronavírus, a ocupação dos leitos de enfermaria, e a ocupação das UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo). De acordo com os especialistas, dois desses três índices estão em alerta vermelho.

Confira os comércios que podem abrir em BH a partir de segunda (29)

O RT, número que mede o ritmo de proliferação do vírus, está em 1,09, o que indica uma expansão da contaminação. Apesar da aceleração da transmissão ter reduzido em relação à semana anterior, a taxa de contágio impactou significativamente na ocupação dos leitos na última semana.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, após o início da flexibilização, o valor de RT atingiu patamares acima de 1,20 até o início de junho.

As taxas de ocupação de leitos de enfermaria exclusivos para pacientes da covid-19 passou de 34%, em 20 de maio, para 69% em 24 de junho. No mesmo período, os leitos de UTI passaram de 40% para 85% da capacidade total de operação.

Veja a íntegra da nota da Prefeitura de BH:

"Em virtude do resultado dos indicadores epidemiológicos dos últimos dias - índice de transmissão e taxas de ocupação de leitos de UTI (86%) e de enfermaria para COVID-19 (67%) – a Prefeitura de Belo Horizonte reitera a necessidade do isolamento social, seguindo os preceitos e orientações do Comitê de

Enfrentamento à Epidemia, para conter a disseminação do coronavírus e preservar vidas. Cabe destacar que no retorno à fase 0, 776 mil empregos do setor privado se mantêm ativos (87% do total). Quanto ao trabalho da Prefeitura na assistência à Saúde, somente em junho foram abertos 232 leitos Covid- 19 na Rede SUS/BH, sendo 81 UTIs e 151 enfermarias. Atualmente, são 1.099 leitos Covid-19, sendo 798 de enfermaria e 301 de UTI. Um aumento de mais de 460% de leitos (no comparativo março/junho)."