Minas Gerais Médica que mandou cortar o pênis do noivo volta para presídio sem recém-nascidos

Médica que mandou cortar o pênis do noivo volta para presídio sem recém-nascidos

Myriam Castro foi levada para centro de detenção exclusivo para gestantes na Grande BH

Médica que mandou cortar o pênis do noivo volta para presídio sem recém-nascidos

Urologista pode pedir progressão para o regime aberto a partir de abril

Urologista pode pedir progressão para o regime aberto a partir de abril

Reprodução / Facebook

Depois de uma gravidez tumultuada, do nascimento de gêmeos prematuros e até de ser considerada foragida, a médica Myriam Priscilla Rezende de Castro, condenada por mandar cortar o pênis do ex-noivo, voltou para a prisão por ordem da Justiça.

Ela foi transferida na última quinta-feira (12) para o Centro de Referência da Gestante Privada de Liberdade, em Vespasiano, na Grande BH, segundo a Suapi (Subsecretaria de Administração Prisional). Por terem nascido prematuros, os filhos, que têm duas semanas de vida, continuam internados na Maternidade Otaviano Neves, em BH.

Leia mais notícias de Minas Gerais no Portal R7

Essa unidade prisional permite que as detentas cumpram pena sem abandonar o convívio com recém-nascidos. Enquanto não completam um ano, os bebês podem passar todo o tempo com a mãe, e, no primeiro aniversário, são entregues para a família.

Mas Myriam não deve ficar muito tempo nesta situação: segundo a certidão de cumprimento de pena do Tribunal de Justiça, a partir de 1º de abril ela já pode requisitar o cumprimento do resto da sentença em regime aberto. Com isso, ficaria liberada para trabalhar e dormir em casa, se tiver bom comportamento, e seria obrigada a se apresentar à Justiça, informar mudanças de endereço, não sair à noite e pedir autorização para viagens.

O advogado Giovanni Caruso Toledo, que defendia a médica condenada até a semana passada, deixou a causa por discordâncias sobre estratégias de defesa. Segundo ele, os recém-nascidos "devem ficar dois meses na incubadora do hospital" e nem devem ir para o presídio, já que Myriam pode conseguir direito ao regime aberto antes do período.

Entenda o caso:

1º de abril de 2014: Médica é presa no interior de São Paulo após o fim dos recursos para sentença de 2009
agosto: urologista consegue o direito de trabalhar fora da cadeia enquanto cumpre regime semiaberto
4 de setembro: em entrevista, ela nega o crime e afirma que o pai mandou cortar o pênis do ex-noivo para protegê-la
5 de setembro: benefício é suspenso porque Justiça não foi comunicada sobre mudança de trabalho
28 de janeiro de 2015: Myriam Castro deixa a penitenciária para trabalhar e não retorna
21 de fevereiro: Seds divulga que médica é considerada foragida
22 de fevereiro: Policiais a encontram internada na Maternidade Otaviano Neves
28 de fevereiro: Justiça determina retorno à prisão
4 de março: bebês nascem em BH
12 de março: Myriam Castro é transferida para Centro de Referência da Gestante Privada de Liberdade