Novo Coronavírus

Minas Gerais Mesmo com novas UTIs, ocupação segue alta em hospitais de BH

Mesmo com novas UTIs, ocupação segue alta em hospitais de BH

Rede privada segue sem vagas intensivas para pacientes com covid-19; instituições públicas têm 20 unidades livres

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7

BH tem 20 leitos livres, todos na rede SUS

BH tem 20 leitos livres, todos na rede SUS

Divulgação / Hospital Metropolitano Odilon Behrens

Mesmo com a criação de 25 novos leitos intensivos para pacientes com covid-19 nesta quinta-feira (25), a ocupação das UTIs em Belo Horizonte segue alta.

Na rede privada, que vive a situação mais crítica e já não tem espaço suficiente para atender a demanda, foram criados 15 novos leitos de UTI, mas índice de ocupação subiu de 115,4% para 116,7%. São 430 pessoas internadas e outras 72 na fila de espera.

Veja: Fila de espera por leitos de UTI em Minas já é de 714 pessoas

Já no SUS (Sistema Único de Saúde), foram 10 novos espaços de atendimentos abertos, o que causou uma leve queda na ocupação, que está em 95,9%. A capital tem, atualmente, 20 leitos intensivos disponíveis, todos na rede pública.

Covid-19 em BH

Nas últimas 24 horas, foram confirmados 31 óbitos e 1.496 testes positivos para a doença. A capital mineira soma 3.086 mortes e 136.929 casos confirmados da doença, além de 124.983 curados e 8.860 pacientes em acompanhamento.

Índices de monitoramento

A ocupação dos leitos simples na capital mineira passou de 89,6% para 86,8%. Existem 287 quartos de enfermaria disponíveis no momento, todos na rede SUS.

A taxa de transmissão do novo coronavírus se manteve em 1,16, dentro da “fase amarela”. O índice, também conhecido como Rt, significa que um grupo de 100 pessoas pode infectar outras 116, o que representa uma aceleração na disseminação do vírus.

Com os 25 novos leitos, a média geral de ocupação dos leitos de terapia intensiva em Belo Horizonte teve uma leve queda, passando de 105,9% para 105,7%.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas