MG é o 2º Estado com mais mortes por queda de aviões particulares

Levantamento mais recente leva em consideração acidentes ocorridos entre 2008 e 2017, que mataram 45 pessoas; monomotor caiu esta manhã em BH

Nesta segunda (21), três pessoas morreram após a queda de uma aeronave

Nesta segunda (21), três pessoas morreram após a queda de uma aeronave

Agência Reuters / Cristiane Mattos 21.10.2019

Dados do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) apontam que Minas Gerais é o segundo Estado com mais mortes causadas por acidentes aéreos com aviões e helicópteros particulares. O levatamento mais recente é referente período de 2008 a 2017, quando foram registrados 401 óbitos no Brasil, sendo 45 em Minas.

O relatório aponta que apenas no ano de 2015, 18 pessoas morreram em solo mineiro vítimas dos acidentes. São Paulo lidera o ranking com 63 mortes no mesmo período.

Ao todo, no Brasil foram registrados 659 acidentes aeronáuticos, entre 2008 e 2019, de acordo com o Sipaer (Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

O levantamento considera vítimas que estavam em aeronaves ou que foram atingidas no momento da queda, como no caso desta segunda-feira (21), no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte.

Ao menos três pessoas morreram e outras ficaram feridas após um monomotor cair sobre veículos, nesta manhã. A queda aconteceu na mesma rua onde outra aeronave caiu, no mês de abril deste ano.

Histórico

O monomotor que se envolveu no acidente desta segunda-feira saiu do Aeroporto do Carlos Prates, bairro vizinho ao Caiçara, e seguia rumo a Ilhéus, na Bahia. Considerado um "perigo" pela população dos bairros no entorno, a pista está relacionada a sete acidentes aéreos desde 2010, segundo dados do Sipaer.

Em Abril de 2010, um monomotor prefixo PT NYV apresentou falhas mecânicas e precisou fazer um pouso de emergência. Ninguém ficou ferido. Em maio de 2012, o mesmo avião fez o chamado pouso longo, que ocorre quando a pista acaba e ele não consegue parar.

Em agosto do mesmo ano, o avião prefixo PT HZE não conseguiu chegar até a pista e caiu antes de pousar. Já em novembro de 2014, a falha no motor fez um avião experimental prefixo PUILS, fazer outra parada forçada no local. 

Veja o momento da queda do avião no bairro Caiçara, em BH: