MG terá força-tarefa para superar defasagem de teleaulas após covid

Secretaria de Educação planeja ações que deverão ser executadas nas escolas quando a pandemia for controlada no Estado e as aulas presenciais voltarem

Telelaulas começam na próxima semana em Minas

Telelaulas começam na próxima semana em Minas

Marcelo Camargo / Agência Brasil

O Governo de Minas Gerais já planeja uma força-tarefa de reforço escolar para superar eventual defasagem que os alunos da rede estadual venham ter com as aulas remotas que serão adotadas durante a pandemia do novo coronavírus.

Durante coletiva para apresentar o projeto, nesta quarta-feira (13), a secretária de Educação, Júlia Sant’Anna, destacou que, assim que as aulas presenciais forem retomadas, as escolas terão dois desafios: reduzir o número de alunos que possam vir a desistir de estudar e nivelar todos em um mesmo nível de ensino.

— Após o retorno, a gente vai fazer uma avaliação e um plano de estudos praticamente pessoal para cada aluno para que a gente consiga ter a certeza que o processo de ensino e aprendizagem se deu da melhor maneira o possível.

Conforme já mostrou o R7, enquanto Minas adotar as medidas de isolamento para conter a covid-19, os alunos da rede estadual vão aprender o conteúdo de casa. O programa de aulas remotas é divido em quatro pilares:

    “Se Liga na Educação”: programa de teleaulas que vai ser exibido, de segunda a sexta-feira, na TV estatal Rede Minas. Vídeos gravados serão veiculados das 7h30 às 11h15, com conteúdos de todas as séries. Em seguida, haverá um plantão tira-dúvidas, com um professor ao vivo, durante uma hora. Aulas começam no dia 18 de maio;

    PET (plano de estudo tutorado): apostilas que vão ser distribuídas a todos os alunos com o conteúdo das matérias e atividades. O material deve ser baixado no site da Secretaria de Educação ou no aplicativo de celular que será lançado. Diretores vão identificar estudantes sem acesso internet para garantir a entrega física do material;

    Aplicativo Conexão Escola: app para estudantes e professores baixarem no celular. Plataforma vai disponibilizar os PETs e, em um segundo momento, vai permitir a comunicação entre o educador e o estudante. Sistema será lançado na próxima segunda-feira (18) para Android. Ainda não há data para liberação no iOS.

    Site e redes sociais da Secretaria de Estado de Educação: as páginas oficiais da pasta vão servir como principal meio de comunicação entre o governo e as famílias. Os vídeos das teleaulas serão divulgados nas plataformas para que os alunos possam consultar quantas vezes quiserem. Além disso, o site terá um campo de perguntas e respostas frequentes para sanar as dúvidas sobre o programa de educação à distância.

Acessibilidade

Questionada sobre as medidas que serão adotadas para garantir igualdade de ensino aos estudantes da rede estadual, já que nem todos têm acesso à internet e ao sinal da Rede Minas, Júlia Sant’Anna explicou que a equipe de educação pensou nas quatro diferentes plataformas apresentadas como tentativa de amenizar o problema. Além disto, o uso do aplicativo de celular não vai descontar dados dos pacotes de internet dos alunos.

Leia também: Game famoso é usado em atividade para alunos

A equipe de educação destacou, ainda, que as aulas em vídeo terão acompanhamento por libras (lingua brasileira de sinais) e os PETs estarão disponíveis em braile.

— A gente está com as melhores ferramentas disponíveis nacionalmente. Não deixamos de garantir isto.

Avaliação

Segundo a subsecretaria de desenvolvimento da educação básica, Geniana Guimarães, os alunos não serão avaliados durante o esquema de aulas remotas. Apesar disto, as atividades disponibilizadas vão valer como a carga horária obrigatória que deve ser cumprida em cada série, conforme orientação do CNE (Conselho Nacional de Educação).

— Neste momento estamos trabalhando com atividades de fixação para que o estudante sempre resolva questões vinculadas ao conteúdo que está estudando, mas as avaliações de desempenho serão realizadas no retorno presencial das atividades.

De acordo com as representantes do Governo de Minas, ainda não há previsão para a volta das aulas presenciais. Segundo Júlia Sant’Anna, isso vai depender do controle da covid-19 no Estado.